On/Off

Autora: Manú | Beta: Babi S.

Capítulos:
| 01 |

UM

Consigo ouvir a música vindo da casa de Harry na rua ao lado. Estaciono o meu carro e vou a pé até a sua casa, ela é grande e bonita e mostra o quanto sua vida é luxuosa. A festa é no jardim, vejo pessoas por todos os lados, alguns amigos, alguns conhecidos e na maior parte desconhecidos. A decoração está incrível e a festa melhor ainda, ele sabe como dar uma festa. Atravesso o jardim e o vejo parado conversando com uns amigos. Ele é incrivelmente lindo, não posso negar, sua beleza se destaca dos demais. Quando me vê, seus lábios se curvam num sorriso, me deixando sem graça. Harry se despede dos amigos e caminha até mim.
"Ei, ! Um dia você me mata do coração." Harry me olha da cabeça aos pés e pisca os olhos, sinto as minhas bochechas queimarem.
"Sério, você está muito linda." Ele sussurrou e a minha pele se arrepiou toda, seus olhos verdes não desgrudam dos meus.
"Deixa de ser bobo. Se divertiu muito em Monte Carlo?" Rio quando sinto os seus braços me puxando para um abraço. Inalo seu perfume que me deixa inibida e tento disfarçar quão afetada fiquei.
"Oh sim, as francesas são mulheres muito interessantes." Rimos e, quando um garçom passa, ele tira duas taças de champanhe, me entregando uma.
"Mas não tão interessantes como você." Quase me engasgo e ele ri perguntando se tudo está bem, aceno que sim.
"Me traz um copo de água" Harry diz para um dos garçons. "Era só uma brincadeira eu não quis... Droga!
"Eu estou bem". Agradeço ao garçom e bebo a água sob o seu olhar atento.
"Harry, aqui está você, meu amor." Olho para a mulher na minha frente e sorrio, mas ela apenas fica me fuzilando com o seu olhar. Me despeço e sinto suas mãos me puxando delicadamente em sua direção.
"Tem certeza? Se você quiser eu te levo para casa." Acenei que sim e soltei a minha mão, faltava pouco para a mulher saltar para cima de mim.
"Foi só um susto. Está tudo bem, vou entrar." Me despedi dando um beijo em sua bochecha, não olhei de novo para a mulher, mas pude ouvir ele e a mulher discutindo quando me afastava.

"Hei pequena." Louis diz me abraçando.
"Hei grandão, como você está?" E pouso a minha cabeça em seu peito, ouvindo seus batimentos frenéticos. Lou tinha o efeito de deixar o meu dia melhor ainda. Sinto o meu estômago embrulhar quando o meu olhar encontra o de Zayn, ele me dá um sorriso e isso quase faz o meu coração derreter. Zayn ama provocar-me, faz tudo para tirar-me do sério, mas a verdade é que não consigo me desprender. É como se estivéssemos atados um no outro. diz que o nosso relacionamento parece mais um ciclo vicioso.
"Você precisa se desprender de Zayn. Ele não te faz bem." Ela diz brava. E eu sigo os seus conselhos, ok? Só que, quando ele aparece na minha frente tão frágil, tão arrependido e dizendo que me ama, eu jogo tudo pelo ralo abaixo e me atiro em seus braços. Essa é a parte em que você diz que sou uma idiota. Parabéns, você acertou. Mas antes de me chamar de idiota, me diga como não amar Zayn.
Senti o olhar de Zayn pesar sobre mim, parado, com as mãos nos bolsos, completamente sexy, me encarando, mordi os meus lábios involuntariamente, arrancando uma risada de Louis.
"Ele sente a sua falta". Suas palavras me fizeram rir por dentro, mas eu não posso simplesmente dar o braço a torcer toda vez que o Zayn faz burrada. Por que raios você faz isso, Zayn? Por que você brinca tanto com os meus sentimentos?
"Não é o que parece, mas isso não importa agora."
"Tem certeza? Senti uma vontade de bater em Louis por me conhecer tão bem. Zayn ainda mexia comigo e ele sabia muito bem disso.
"Não, mas não quero mais esse jogo que chamamos de relacionamento." Ele me puxou para um abraço e deixei a minha cabeça cair sobre o seu peito.
"Estou atrapalhando?" Sinto um arrepio invadir a minha espinha e minhas pernas tremem. Louis ainda está segurando a minha cintura e agradeço aos céus por isso.
"Não, claro que não. Vou pegar umas bebidas." Não, não e não. Quase peço a Louis para ficar e não deixar Zayn e eu sozinhos, mas era algo inevitável, aconteceria mais cedo ou mais tarde.
"Sinto a sua falta." As palavras que fizeram o meu coração derreter e esquecer o meu plano de não o perdoar.
"O problema é seu." Zayn foi dando beijos no meu pescoço. "Paraaa-a, Zayn."
"Quer mesmo que eu pare?" Mordi os meus lábios me entregando às suas carícias.
"Aham." Zayn deu uma risada e voltou a beijar e a morder o meu pescoço.
"Meu amor, eu não entendi o que você quer."
"Eu quero que me beijes." O meu coração parecia prestes a explodir, quando os nossos lábios se tocaram. Suas mãos não desgrudaram da minha cintura e quando Zayn ia parar o beijo eu o puxei pela gola da camisa colando os nossos lábios outra vez. Não, não de novo. Parei o beijo no mesmo segundo em que percebi a burrada que fiz. Ele colou as nossas testas e o vi sorrir, não pude evitar sorrir também. Céus como eu senti a sua falta.
"Me perdoa por ser um idiota." E lá estávamos nós indo para o mesmo caminho de sempre. O caminho que eu sempre saía magoada. "Antes que você tome qualquer decisão, eu te amo, eu preciso de você e esse tempo separados me fez ver que eu não vivo sem você, .
"Zayn , você não pode simplesmente me pedir perdão e esperar que eu perdoe você. As coisas não são assim e..."
"Você ao menos ouviu a parte que eu disse que te amo, ?" E ver a dor em seus olhos doeu tanto em mim. Eu te amo tanto, não faz essa cara que parte o meu coração. O que você faria se o cara que você ama estivesse na sua frente, te pedindo perdão? E se ele estivesse sendo sincero? E se ele estivesse completamente arrependido e dissesse que te ama, o que você faria?

Na manhã seguinte quando acordei a minha cama estava vazia, Zayn fora embora e nem um recado havia deixado. Isso quebrou o meu coração em pedaços. Mas o que eu estava a espera, afinal de contas? O café da manhã na cama e mais juras de amor? Ele é o Zayn, afinal de contas, tudo o vou receber no mínimo são desculpas e mais desculpas. Isso é tudo o que você vale? NADA?
Meu celular tocou e comecei a procurar que nem uma doida, nada de celular na cômoda, nada de celular no banheiro, nada de celular debaixo da cama. Achei jogado no chão da sala atirado com os meus saltos altos. O nome de Ericka piscava tela, suspirei fundo e atendi.
"Você prometeu que não iria para a festa, ." Sua voz soava irritada.
"Louis pediu que eu fosse. Não fui porque quis."
"É mesmo? Tem certeza que isso não tem nada a ver com o fato de você querer ver o idiota do seu ex-namorado?". Agora gritava me fazendo acreditar que ficaria surda antes dos quarenta.
"Zayn não é um idiota."
", você tem razão. A única idiota é você caindo sempre no mesmo papo furado".
"O Zayn me ama, ele mesmo me disse..."
"Não acredito, você dormiu com ele? Ai meu Deus, que pergunta, claro que você dormiu com ele. Agora me diz, se ele te ama tanto, por que não está com você agora? A única coisa que ele ama é ele mesmo. Se ele amasse você como ama dizer, ia estar aí com você, provando que estou errada." Nunca me senti tão ofendida como naquele momento, lágrimas caíram me fazendo fungar baixinho. "Estamos indo para aí". E assim ela desligou me fazendo cair sobre o chão e chorar.

O clima em Londres estava ameno, eu sinceramente amava quando o clima ficava assim. Tudo estava calmo, mas eu conseguia ouvir o som dos carros passando. Ah, os gritos das minhas garotas no apartamento e a voz calma de Corinne Bailey Rae no fundo. Depois de tanto discutirmos sobre a noite passada, havíamos chegado a um consenso. Sophie e acham que Zayn me ama, mas não sabe como lidar com isso, já acha que eu deveria esquecer. Esquecê-lo é mais difícil que amá-lo.
Chegamos todas à seguinte pergunta: "Como conquistar Zayn de volta?". Digamos que nem todas as ideias foram as melhores. Mulheres, álcool e decisões não é uma das melhores combinações possíveis.
"A melhor coisa que você pode fazer é mostrar que não está disponível e ao mesmo tempo está."
"Que ideia, Ericka. Como vou fazer isso?" Ela comeu um pedaço de pizza, minha cabeça acompanhava os seus movimentos.
" Deixa ele com ciúmes. Isso vai deixá-lo danado. Outro homem dando toda atenção que ele não dá vai fazer o Zayn correr a sua atrás."
"Ou você poderia ignorá-lo por mais um tempo."
"Não está resultando Sophie."
"Estou tendo uma ideia." fala alto demais talvez pela bebida.
"Que tal deixá-lo com ciúmes com um dos caras? Você sabe os amigos do Zayn são uns gatos."
"Ericka! Eu grito e rio no mesmo instante." Nenhum deles sequer deu em cima de mim.
"Não, não e não. Talvez ela tenha razão." faz uma dança engraçada, arrancando risadas.
"Não existe um código pra isso? Não dar em cima da mulher do outro cara? Sei lá, homens respeitam muito isso. dá de ombros, e eu assinto.
"Harry! Ele está sempre te elogiando. Vai por mim, ele é o cara."
"Essa é a ideia mais ridícula que vocês já tiveram." Dou uma gargalhada e como um pedaço de pizza. Não vou dar encima do Harry. Me lembro dos seus lindos olhos verdes me encarando a noite passada.
"Não estamos dizendo pra você se jogar nos braços definidos do Harry, mas sim que você aproveite um pouco desse interesse dele por você.
"Mas se você quiser aproveitar, sem problemas. Ele é lindo mesmo." Dou uma almofadada em Sophie e ela dá o dedo do meio.
"Que amigas eu fui arranjar."
"Você quer ou não quer o Zayn de volta?
"Quero". Falo com todas as forças que tenho e me sinto aliviada por dizê-lo tão alto. Quero o Zayn de volta.
"Então você já sabe o que fazer". diz toda séria. É impressionante o quanto essa menina me assusta às vezes.
"Ao Harry, meninas!” Levantamos nossas taças de vinho e bebemos, sinto o quanto isso é errado, mas o amor é um campo de batalha e nele tudo vale.

Londres nunca esteve mais linda, a história não seria tão trágica se não fosse feriado e tudo estivesse fechado. Já disse que amo o barulho e o cheiro da chuva? Eu poderia ficar no parapeito do meu apartamento tendo essa linda visão, tudo ficar mais bonito. No entanto estou correndo à procura de abrigo nessa rua tão deserta.
Até que avisto um lugar e entro, parece um bar e está cheio de homens, o que me deixa nervosa. Não acho que alguém tenha prestado atenção em mim, há uma grande TV e vários homens prestando atenção nela. Homens e futebol, uma guerra perdida. Liverpool vs Manchester isso explica a tensão toda naquele lugar. Me dirijo ao balcão e sento numa das cadeiras arrancado vários olhares sobre mim.
"Estamos fechados para mulheres." Não consigo pensar em mais nada a não ser o quão estúpida essa frase fora.
"Você só pode estar a brincar. Eu vou querer um Whisky". Minha voz saiu firme e agradeci aos céus por isso.
"A saída é a mesma que a entrada. Você me faz o favor de se retirar?". Ouvi risadas perto de mim e lutei contra mim mesma para não virar.
"Não vi nenhum sinal que proíba a entrada de mulheres".
"Já chega eu mesm... Carl, traz um Whisky para a senhorita". Aquela voz rouca me deixara um tanto atordoada, eu não me virara para encará-lo, sabia que era desnecessário à medida que seus passos se aproximavam mais de mim.
"A festa acabou senhores. Podem voltar a prestar atenção no jogo". Decidi prestar atenção na decoração e como o candeeiro do bar parecia ser caro demais.
"Você não deveria estar aqui, não assim vestida". Me virei para responder dando de cara com uns olhos verdes penetrantes me encarando, um sorriso brincava em seus lábios e eu perdi a noção do que iria dizer. Céus, ele era lindo!
"Eu estou bem”. Falei fazendo-o sorrir.
"Veja só, ela fala, deveria comemorar?"
"Você é um idiota". Falei o encarando mas ele pareceu não se importar.
"Vamos sair logo daqui ou você ainda quer ser admirada por esses marmanjos? Não me entenda errado, é que essa sua blusa branca realmente nos dá uma visão linda. Lingerie vermelha fica bem em você e esse seu jeans apertado nessa bunda é uma visão excitante. Gritei de horror o fazendo gargalhar.
"Você é nojento". O som da sua gargalhada era lindo! Ele riu me deixando irritada.
Carl pousara a minha bebida no balcão e se retirou nos deixando sozinhos, em um bar com tanta gente eu me sentia nervosa com ele por perto.
" Não precisa me agradecer. Se eu não estivesse aqui, Deus sabe o que aconteceria".
"Eu sei me defender sozinha".
"Acredite eu só quero ajudar. Meu apartamento fica perto daqui, você pode tomar um banho e trocar de roupa. Mas se você continuar aqui molhada pode apanhar um resfriado ou, pior, pode ser atacada por um desses caras". Ele apontou para um grupo, me virei encarando-os, um dos caras fez algo obsceno fazendo com eu tivesse vontade de vomitar".
"Obrigado, mas vou esperar a chuva passar".
"Você sabe que eu sou a sua melhor hipótese".
"Eu não te conheço, nem sei o seu nome".
"Harry Styles, é um prazer conhecê-la. Por que você tem que ser tão charmoso? Pensei, mordendo os meus lábios. "Você fica sexy assim".
" , sinto muito não poder dizer o mesmo". Ouvi Harry a gargalhar e o olhei séria, quando ele parou me limitei a sorrir. "Vamos antes que eu me arrependa".
"Carl, ponha na minha conta. Ele apontou para o copo de Whisky e estendeu sua mão para me ajudar a descer do meu assento. Ignorei a mesma e pude notar que ele era muito mais alto que eu. "Toma e vista, não quero que pegue um resfriado". Harry me ajudou a vestir e saímos a correr do bar até o seu carro.
"Você é assim tão calada?" Depois de minutos em silêncio, Styles resolveu puxar assunto. "Você é portuguesa?"
"Sim, como você sabe?"
"Presumi pelo seu nome. Combina com você" .
“Você não respondeu a minha pergunta".
"Morei em Portugal há um tempo atrás, depois do divórcio dos meus pais".
"Você não é assim tão velho". Falei o fazendo rir.
"Gostei de você". Fiquei observando a rua e Styles começou a cantarolar baixinho, não resisti e fiquei o observando. Harry Styles era um cara muito intrigante. "Chegamos".
O caminho todo até o seu apartamento eu estava nervosa, Styles disse que todas mulheres que levava para casa eram apenas caso de uma noite e aí estava eu. Nem caso de uma noite era e estava indo para a sua casa, esperando não parar na sua cama. Ele disse que sou diferente das outras que ele já levou para cama, me contara sobre os seus casinhos e quanto queria mudar. E esperava encontrar o amor da vida dele. Eu não sabia o que dizer, o que raios eu faço com toda essa informação? Foram os minutos mais longos da minha vida. Eu simplesmente não o agarrei porque chegamos no andar dele.
Espera esse andar é apenas dele? Quem é você, Harry Styles?
Styles abriu a porta do seu apartamento e acendeu as luzes do seu apartamento, apesar de grande tinha uma decoração simples, moderna e elegante ao mesmo tempo.
"Fica à vontade vou preparar o seu banho e ser se encontro uma roupa para você".
"Eu não quero nada que..."
"Não se preocupe, são da minha irmã". Ele piscou e me deixou sozinha na sala. Fiquei andando pela sala até encontrar várias fotos da sua família, não pude deixar de sorrir.
"Acho que você vai ter que se contentar com uma muda minha".
"Sua família é linda". Falei e Styles se aproximou, limpando a lágrima que caía sobre o meu rosto.
"Imagino que não deva ser fácil viver longe da família".
"Não, não é. Mas você se acostuma" . Me afastei de Styles e notei o quão irritado ele ficou, fingi não me importar.
"O banheiro é lá em cima, a terceira porta a esquerda". Assenti e subi, encontrei o banheiro e tomei um banho rápido. Não tão rápido, porque encontrei Styles de banho tomado na cozinha, preparando um lanche.
"Você cozinha, um milagre!". Me sentei sobre o balcão perto dele.
"Engraçadinha, estou fazendo chocolate quente. Espero que goste". Styles bagunçou o meu cabelo me fazendo reclamar.
"Precisa de ajuda?" Perguntei e Styles negou."Tem certeza?" Ele negou.
"Por que se mudou para cá?". Seu olhar me estudava e isso me deixava nervosa.
"Quando eu era mais nova eu sempre sonhava em estudar em um lugar que não fosse Portugal." Comecei e Styles ora observava o que estava fazendo ora me observava, o seu olhar era tão intenso, mas confortável ao mesmo tempo. "Era como se eu não pertencesse àquele lugar, eu queria crescer e sair logo, eu queria conhecer o mundo, viajar pelo mundo, saber o que ele tinha a oferecer, eu prometi a mim mesma que faria isso quando terminasse o ensino médio. Nos últimos anos eu achei que não seria possível, pois meus pais não são ricos, eles não têm assim tanto dinheiro para bancar os meus estudos. Eu arrumei um emprego e meus pais tinham dois empregos, eles foram se afastando e ela conheceu outra pessoa, meus irmãos e ele botaram a culpa em mim. Eu não queria que eles se afastassem, sabe? Minha mãe pediu o divórcio e eu me mudei com ela e Daniel, o namorado dela, para Manchester, mais ou menos um ano atrás. Meu pai deixou de falar comigo e meus irmãos simplesmente me odeiam. Acho que Daniel se sentiu culpado e decidiu pagar a minha faculdade e todas as despesas, mas isso só piorou mais as coisas". Lágrimas caíam sobre o meu rosto e, quando dei por mim, eu estava nos braços de Styles, molhando a sua camisa.
"Eu sinto muito". Styles brincava com o meu cabelo e aquilo ia me distraindo. " Olha para mim, a culpa não é sua" .
Os olhos de Styles são muito verdes e são lindos, ele cheira muito bem também. Droga, ele está ainda mais bonito e está perto, muito perto. Não existia mais nenhuma distância entre nós e eu podia sentir a sua respiração sobre o meu rosto, ele mordeu os seus lábios e tudo o que eu queria é que ele me beijasse. E quando os nossos lábios quase se tocavam ele sorriu, me fazendo derreter por dentro, e os seus lábios vieram na minha direção. Até que um barulho fez com que eu me assustasse e me afastasse, ele se desculpou e disse que precisava atender a chamada, me deixando sozinha na cozinha com cara de tacho. Isso é tão errado, você o conhece há quanto tempo? Duas horas e quer se jogar nos braços dele. Que loucura! O que há de errado com você?
O chocolate quente já estava pronto, tirei do lume e servi em dois copos e comecei a tomar o meu distraidamente. Se Ericka soubesse que eu estou na casa de um estranho, ela com toda certeza surtaria.
"Cara você não vai acreditar no que aconteceu hoje". Ouvi a voz desconhecida dizer e me virei o encarando, o cara em questão parecia que havia visto um fantasma. Pousei o copo no balcão.
"Não sabia que o Styles tinha companhia". Me apressei em responder que não havia problemas.
"Você diz que o Zayn passou por aqui?" Ele passou as mãos no cabelo e sorriu, eu queria saber como respirar nesse momento.
"Zayn, certo?" Eu tentava inutilmente me manter calma. "Você não está atrapalhando nada, na verdade acho o Styles um cara muito chato, você me salvou". Falei o fazendo rir e ri junto.
"É mesmo, bom saber disso". Ele falou entrando na brincadeira. "Sério que você o acha chato?
"Chato e feio". Fiz uma careta e Zayn sorriu e nesse momento meu mundo virou da cabeça para baixo, meu coração começou a bater mais forte que parecia que ele podia ouvi-lo.
"Só não conta para ele que eu concordo. Ele me mata". Ficamos nos encarando e rindo um para o outro.
", sua roupa já secou". Zayn e eu nos viramos dando de cara com um Harry sério. "Desculpa, estou atrapalhando?".
"Não. A é que é muito engraçada." Ele falou piscando pra mim e dando um abraço em Styles. Zayn falara mais qualquer coisa e Styles parecia não gostar muito.
"Eu vou para a casa do Louis". Styles falou qualquer coisa e Zayn não desgrudou o olhar de mim nem mesmo para responder o amigo, o que deixou Styles mais irritado ainda. "Vou pegar as minhas coisas".
"Seu chocolate estava uma delícia, obrigado." Falei sorrindo para Styles. "Bem vou vestir, está ficando muito tarde".
Quando acabei de vestir dei de cara com Styles, que insistia em me levar para casa. Mesmo contrariado acabou por aceitar o fato de que eu preferia ir de bus para casa. Descemos os dois calados e nos despedimos com um abraço.
"Te ligo amanhã".
" Você não precisa ligar, Styles".
"Eu faço questão".
Styles acenou e eu saí do condomínio me dirigindo à paragem de bus. A rua estava serena e eu agradeci por isso. Fui ouvindo música até que um carro parara na minha direção me assustando.
"Zayn? Voce está me seguindo?" Perguntei o fazendo rir.
"Estou indo a casa de um amigo, entra no carro ".
"A paragem é logo ali."
"Entra logo ou eu mesmo ponho você dentro do carro".
"Você não seria capaz". E Zayn saiu do carro me deixando surpresa.
"Não sou como o Harry". Zayn estava me lançando uma indireta bem direta.
"Já disseram que você é doido?" Ele estava parado na minha frente.
" Quer mesmo que eu obrigue você?"
"Você é mais chato que o Styles". Falei fingindo estar brava e entrei logo no carro.
"Boa menina". Ele gritou e eu ri.
"Doido".
O caminho até a minha casa Zayn e eu estávamos rindo e nos divertindo. Quando ele estacionou o carro, não posso deixar de dizer o quão triste isso me deixou.
"Você tem uma caneta?". Respondi que sim e revirei a minha bolsa até encontrar uma. "Me dá o seu número". Eu quase que ri com isso.
"Não ria . Estou pedindo o seu número à moda antiga". Rimos e eu escrevi o meu número na palma da sua mão. E, depois, Zayn escrevera o seu número na minha mão e disse que ligaria.

Continua...

Nota da autora: (19/07/2017) Sem nota.

Nota da beta: Se encontrar algum erro, me avise pelo e-mail.