Autora: Jéss Oliveira | Beta: Babi S.

Capítulos:
| 01 | 02 | 03 | 04 | 05 | 06 | 07 | 08 | 09 | 10 | 11 | 12 | 13 | 14 | 15 |

1. The A Team.

A lanchonete estava lotada, mas não era para menos. Numa sexta-feira, dois dias para começarem as aulas, os alunos da Universidade de Londres se reuniam para comemorar o final das férias. Jay nunca entendeu isso, talvez porque fosse Americana. Fazia anos que morava em Londres, mas ainda não tinha se acostumado com tudo aquilo. Ela trabalhava na lanchonete perto da Universidade há mais de um ano. Foi onde conheceu Luna, a bela espanhola que tinha família na Alemanha, cabelos longos em um loiro natural, olhos azuis, estudava Arquitetura e pegava algumas aulas com Jay, que estudava para ser designer. Enquanto as amigas trabalhavam servindo mesas e anotando pedidos, Travis e Matt batiam um papo sobre futebol. Travis, americano como Jay, nasceu na Califórnia, mas não aparecia ser daquele lugar. Tinha os cabelos escuros, pele branca e seus olhos eram verdes. Ele fugiu de casa para viver sem precisar dar explicações sobre suas opções na vida. Ele e Jay se conheceram no programa de intercâmbio que fizeram no último ano de colégio, moravam juntos em um apartamento privado no campus da Universidade. Conheceram Matt na mesma escola. Matt era inglês, tinha os cabelos pretos, usava barba por fazer e seus olhos eram castanhos tão claros que pareciam ser feitos de mel. Ele estudava Jornalismo com Travis.
Harry alugou um carro no aeroporto e seguiu seu caminho até o campus. Recebeu uma mensagem de seu coordenador sugerindo que ele aproveitasse sua primeira noite na lanchonete. Deixou suas malas no banco de trás do carro, olhou seu celular e sorriu. Era uma foto de seus amigos. Harry era brasileiro. Seu pai era americano, mas sua mãe brasileira e o criara no Brasil, mas certificando-se de que seu filho aprendesse inglês desde pequeno. Harry tinha puxado ao pai: cabelos claros e olhos azuis. O brasileiro entrou no bar e, por um momento, pensou que estivesse no Brasil. Um mar azul dominava o lado esquerdo e um mar vermelho dominava o outro. Olhou para o telão no meio do bar e viu que Chelsea e Arsenal jogavam pela Premiere League. Sorriu e sentou-se no balcão. Esperou a garçonete aparecer, mas viu a loira fazer um sinal com a mão e gritar:
- Ei, amiga, atende aqui!
Ele olhou na mesma direção e viu a outra garçonete se aproximar. Ela tinha o cabelo preto, mas com as pontas claras, e seus olhos eram castanhos escuro como ele nunca tinha visto. Usava batom vermelho nos lábios e estava com a camiseta dos Beatles rasgada nas laterais, e o garoto não deixou de notar seu sutiã preto.
- I’m Jay! – Sorriu, pegando um tablet em seu avental. – Como posso te ajudar?

2. Welcome To My Life.

O jogo terminou, Chelsea ganhou de 2x0 e foi o suficiente para Jay e Travis se juntarem para zoar seus amigos Matt e Luna, que eram gunners. Luna apenas ria, mas Matt levava mais a sério, torcia pelo Arsenal desde pequeno. Harry estava sentado no bar, apenas observando ao seu redor e pensando que aquelas pessoas seriam seus colegas de faculdade, foi interrompido quando Jay apareceu na sua frente. Eles passaram horas conversando, tinham coisas em comum, era como se se conhecessem há anos.
- E aí? - Jay entregou uma cerveja ao novo amigo. - Como estão as coisas?
- A mesma?! - Eles riram. - O que foi aquilo ali?
- Ah, meus amigos torcedores do Arsenal. Eu e Travis estávamos zoando eles - falou, entregando bebidas pelo bar.
- Why? - perguntou, confuso.
- Porque somos blues, porque é divertido. - Harry riu. - E você?
- Eu? - Apontou para si.
- Algum time daqui chama a sua atenção ou sei lá? - Jay abriu uma Ice e tomou alguns goles.
- Talvez o United. - A garota fez careta. - Quê?
- Única coisa boa dali foi o Cristiano Ronaldo. - Jay piscou e Harry revirou os olhos.
- Right, claramente você bebeu demais. - Ela mostrou o dedo. - Falar nisso, vocês bebem no trabalho?
- Why? O dono é nosso amigo e a gente trabalha direitinho. - Jay deu de ombros. - Agora cala a boca.
Matt estava sentando de cara feia na mesa com Travis, o americano ria do amigo.
- Você vai ficar assim mesmo? - perguntou enquanto comia algumas batatas.
- Meu time acabou de perder.... pro seu, acho que é motivo pra ficar puto. - Travis gargalhou e Luna passou pelos amigos e jogou um pouco de água no amigo.
- HEY! - Travis fingiu irritação.
- Deixa ele! - Luna riu de lado e Matt sorriu.
- Babona! - Travis gritou. Tomou um susto quando Jay sentou em seu colo. - Hey! Qual o problema das minhas amigas hoje?!
- Acho que a bebedeira! - Matt falou e Jay revirou os olhos.
- Acho que a pergunta dele foi retórica, loser. - Jay foi embora e Travis bateu na testa do amigo.
- Sério? - Travis revirou os olhos.
- Falei nada, ué. - Matt deu de ombros e viu o amigo indo em direção ao banheiro. Luna arrumava alguma coisa na cozinha quando viu a amiga com uma garrafa de cerveja na mão.
- Fuck, quando bebe cerveja é porque tá puta da cara - falou, mordendo os lábios. - Matt?
- Yep! - Deu um gole e Luna viu metade do líquido ir embora. - Idiota!
- Deixa ele, ok? - Luna beijou o cabelo da amiga e saiu com alguns pratos na bandeja.

- JAY! - Harry chamou a morena. - Vou indo, obrigada pela recepção.
- Eu largo daqui a meia hora... - falou perto demais, Harry ficou desconcertado.
- Oh... Ok - falou, confuso, não sabia o que estava acontecendo.
- Te vejo daqui a pouco. - Jay beijou sua bochecha e sumiu no meio da multidão.
Quase uma hora depois, Matt perguntou à Luna onde a amiga estava, Travis arregalou os olhos e Luna riu.
- Comemorando a vitória do time dela, eu espero. - Luna recolhia os pratos da mesa ao lado. - Ela foi pra casa faz um tempo.

Harry não sabia exatamente o que estava acontecendo, mas beijava Jay como se não houvesse amanhã, eles pararam por uns segundos para ela abrir a porta, Jay não deu tempo para Harry ver seu loft, ela o beijou novamente. Eles entraram no quarto da morena um tentando tirar a roupa do outro, a camiseta da garota ficou presa em seu piercing no nariz e ela riu.
- Help! - Harry gargalhou e a ajudou. - Sorry.
- Você se machuca e me pede desculpa? - Harry riu e Jay o beijou novamente. - Ok...
- Shiiiu! - Harry riu durante o beijo. Foi a última coisa que foi falada entre eles naquela noite.

- Cadê o Matt? - Luna perguntou a Travis enquanto fechava a porta da lanchonete.
- Pra casa! - Luna riu.
- Você tá legal? - Abraçou o amigo de lado. - Já tá comendo palavra.
- Eu tô quase bem. - Os dois riram. - Vai dormir lá em casa?
- Tá louco? - falou, arregalando os olhos. - Minha próxima roommate vai chegar a qualquer momento.
- Espero que ela seja gay, talvez a Jay te ajude a domar a criatura. - Luna gargalhou. - Quê?
- Ai amigo, se você não fosse gay eu casava com você. - Luna abriu o portão de seu prédio.
- Entra na fila, queridinha. - Os dois se abraçaram e Travis seguiu para seu apartamento. No caminho ligou para o amigo.
- Quê? - Matt atendia com voz de sono.
- Porra, já dormiu? - Travis perguntou, surpreso.
- É o que se faz quando está na cama... - falou irônico. - E sexo, mas sabemos que isso não ganhei hoje.
- Deixa de frescura, Matthew. - Travis revirou os olhos. - Parece que morreu só porque o losers perderam, achei que já tava acostumado.
- I fucking hate you, man. - Matt gargalhou. - Você sabe que não é só isso.
- I know, I know - falou, abrindo a porta do apartamento que dividia com Jay. - Vejo você na quadra?
- Hm, 11h?
- 11h! - Travis falou e Matt riu. - Até amanhã.
- Até. - Travis pegou uma garrafa d'água e, antes de entrar em seu quarto, ouviu um barrulho no quarto ao lado, fez careta e bateu na porta falando. - USEM PROTEÇÃO!
- FUCK YOU! - Ouviu a amiga gritar e gargalhou, batendo sua porta.

Jay abriu os olhos com dificuldade, tentou levantar a cabeça, mas ela estava doendo devido às cervejas que havia tomado. Pensou "nunca mais tomo essa merda", mas ela sempre falava isso. Olhou seu celular e eram 10h30min, lembro que faria um turno extra na lanchonete e deu um grito esquisito. Harry, que estava ao seu lado, caiu da cama e ela riu.
- FUCK, FUCK, FUCK, FUCK! - ela falou, colocando a calça que estava no chão. Pegou a camisa de Harry e jogou na cara do garoto. - Desculpa, mas estou atrasada.
- Percebi! - Harry riu e colocou suas roupas enquanto Jay pegava uma camiseta qualquer em sua gaveta.
- Celular, carteira, bolsa... - Jay jogava as coisas espalhadas que estavam no chão, na cama. - MINHAS CHAVES? VOCÊ VIU?
- Nops. - Harry calçava o tênis. - Na sala, maybe?
- I like you, man - Jay falou e Harry riu do seu cabelo bagunçado. Jay viu Travis na cozinha. - Hey! Viu minha chave?
- Tava no chão quando cheguei, bitch! - Riu de lado.
- Legal! - Jay beijou a bochecha do amigo.
- Ei amiguinho - Travis falou, rindo.
- That's nice. - A garota riu. - I'm Jay.
- I'm Harry.
- Esse é o Travis... Ele é gay - falou, rindo.
- Oh, prazer. - Os dois de comprimentaram.
- O momento tá fofo e lindo, tô vomitando arco-íris, mas preciso trabalhar. - Jay saiu e Travis revirou os olhos.
- Bom, eu acho que vou indo - Harry falou sem graça.
- Depois do furacão, o mínimo que posso fazer é umas panquecas pra você, mate. - Harry riu e pensou "por que não?". Sentou-se em um banco no balcão da cozinha e se conheceram um pouco.

Jay estava em sua bicicleta quando viu Luna saindo de seu prédio, parou perto da amiga.
- Blondie, vai uma carona? - Sorriu.
- Lógico! - Subiu nos ferrinhos da bicicleta. - Credo, você cheira a sexo.
- Ai Luna! - As duas riram.

As amigas viram seus amigos chegarem suados e agitados na lanchonete e riram. Jay viu Harry e cutucou Luna.
- Esse? Ele é fofo! Mas... - falou, rindo. - Wait, porque ele tá com nossos amigos?
- Ele deve ter tomado café da manhã com Travis. - Luna parecia confusa. - Quê?
- Pensei que era caso de uma noite!
- E...?
- E ele parece que fez amizade.
- Aff Luna, ele é legal. Você vai gostar dele. - Jay sorriu. As duas se juntaram a Matt, Travis e Harry.
- Luna, esse é o Harry - Jay falou e Harry abraçou a loira, que olhou confusa. - Harry, essa é a blondie.
- Ele é metade brasileiro, adoram abraços etc. - Jay deu de ombros.
- Desculpe. Prazer, Luna. - Sorriu, simpático.
- Oh, tudo bem! - Riu, envergonhada. - Vou pegar seus pedidos.
- Ok, thanks, blondie! - Jay falou, sorrindo, mas antes de Luna se afastar, ela olhou para Harry.
- Ei, new guy, welcome to the Odd.

3. Begin Again.

- Não estou entendo o desespero, blondie - Jay falou, deitada na cama da amiga.
- Você fala isso porque tem o melhor roommate ever - falou, jogando uma camisa em Jay. Ouviram a porta bater. As duas se olharam e Luna abriu a porta. Uma garota morena, com pele escura, sorria. A loira estendeu a mão.
- Hi, sou a Luna! - sorriu, simpática.
- Sou Sophie - falou, simpática, e Luna sentiu um pequeno alívio. Sophie levou suas coisas até a cama. - Oh!
- Eu só estou aqui pro apoio moral! - falou, saindo. - Vejo você por aí, Sophie. Luna, te pego mais tarde.
Jay fechou a porta e riu.
- Oh shit! - Jay bateu em alguém, derrubando algo. - Me desculpa!
- Tá tudo bem - a morena ajudava a recolher as coisas. - Obrigada!
- Nada... - Jay finalmente pode ver a garota, ela era ruiva e seus olhos eram de um azul piscina. - Hi!
- Hi?! - a ruiva falou, sem graça. - Sou Emily.
- I'm Jay. - A americana sorriu. – Prazer e desculpa qualquer coisa.
Jay saiu, correndo. Estava atrasada, iria trabalhar no turno da tarde para ganhar um bônus em seu salário. Pegou sua bicicleta e pedalou pelo enorme campus até a lanchonete, viu Travis sentado com seu notebook e sorriu, colocando seu avental.
- Hey, sexy! – falou, sentando de frente ao amigo. – Não tem casa mais não?
- Até tenho, anjo. Mas estou terminando a primeira capa do jornal desse semestre e preciso respirar novos ares.
- Sua esposa sabe disso? – Jay brincou e Travis sorriu de lado.
- Deve tá de chamego com algum macho por aí, talvez uma mina, ela tem gosto peculiar. – Jay gargalhou e bateu na testa do amigo. – Oh shit!
- What? – Jay arregalou os olhos.
- Matt e Harry conversando ali no balcão, amizade estranha.
- Não é estranha. – Jay olhou rápido para os amigos.
- Vai contar pro Matt?
- Qual a necessidade de ele saber? – Jay perguntou, nervosa.
- Harry veio pra ficar, vocês parecem que são amigos de infância, se você não fosse minha mulher ficaria muito puto. – Jay riu dos ciúmes do amigo. – E, bom, Matt é Matt.
- Deixa quieto!
- Bom mesmo, porque eles estão vindo e QUERO UM HAMBURGUER COM FRITAS, JAY! – Travis gritou, assustando Jay.
- Sutil! – Jay piscou para os amigos enquanto eles sentavam com Travis.

Luna espiava a nova colega de quarto enquanto a mesma arrumava seu lado do quarto. Sophie notava seus olhares, mas continuava com sua arrumação.
- Então... Você estuda o quê? – perguntou de supetão, assustando Luna.
- Arquitetura, e você? – Sorriu simpática.
- Literatura... – Sentou-se em sua cama. – Posso te perguntar algo?
- Claro. – A loira sentou de frente para Sophie.
- Por que você está nervosa?
- Oh, é só que... – Luna se ajeitou na cama. – Minha ex-roommate meio que era uma babaca, ela ficou com meu namorada, na época, na minha cama.
- Nossa, que horror. Sinto muito.
- É, tudo bem. Jay bateu nela. – Sophie riu da careta da loira.
- Jay parece ser uma amiga legal – falou, olhando as fotos de Luna em sua parede.
- Sim, a melhor – falou, calçando seu coturno. – Bom, tenho que ir trabalhar.
- Oh, no domingo?
- Bônus. – Sorriu. – Se quiser, passa lá mais tarde. É na lanchonete logo na entrada.
- Ok.
- Precisa de algo? – perguntou, já na porta do quarto.
- Não, tô bem. Muito obrigada.

Travis lia seu artigo para Matt e Harry, e os amigos falavam algumas ideias, afinal, os três eram companheiros de classe, estudavam Jornalismo.
- Se quiser, você pode solicitar uma vaga no jornal daqui – Travis falou, tomando sua Coca-Cola.
- Você também trabalha lá? – Harry perguntou a Matt.
- Nops, trabalhou na empresa do meu pai – falou, bufando.
- Vejo que não gosta.
- Odeio. – Matt revirou os olhos.
- O-d-e-i-a – Travis falou pausadamente e os amigos riram. Um barulho assustou os três. Travis, que estava de frente para o balcão, viu Jay xingar o copo que tinha derrubado.
- Tão desastrada que dá pena. – Balançou a cabeça negativamente.
- Ela é totalmente diferente do que pensei – falou Harry, distraído.
- Verdade, ela é diferente das outras garotas – Matt completou.
- Como ela e Luna são amigas? – o brasileiro perguntou.
- Luna não é quem aparenta ser – Travis falou. – Não deixe aquele cabelo loiro com cheiro de Alemanha enganar você.
- Estou bem de amigas, então?! – perguntou.
- Yep! – Matt e Travis falaram juntos.

Luna andava em direção à lanchonete quando viu Hanna, ex-namorada de Matt, do outro lado do campus, conversando com Keth, um who do time dos meninos. Revirou os olhos e seguiu. Chegou na lanchonete e viu seus amigos em uma mesa conversando.
- Nossa, que cara é essa? A roommate é vadia igual à Barbie? – Travis perguntou.
- Não, ela é legal. Sophie o nome dela.
- E essa cara?
- Vi sua ex-namorada batendo papo com o Keth – falou, séria.
- Ok, alguém tá me chamando ali. – Jay foi até o balcão, Harry ficou confuso e Travis fez sinal que depois contaria. O papo durou até a noite, o agora bar estava lotado com novatos e veteranos. Luna sorriu ao ver Sophie com algumas amigas.
- Hey! Seja bem-vinda! – a loira sorriu, simpática.
- Thanks. Essa é a Emily e a Gia. – A espanhola cumprimentou as duas e atendeu seus pedidos. Jay chegou correndo, assustando a amiga.
- FUCK! Essa ruivinha foi a que esbarrei hoje lá no teu andar. – Sorriu e Luna bateu na amiga.
- Não precisa me matar pra contar isso. – Sorriu quando a amiga lhe mostrou o dedo do meio. – Percebeu alguma vibe dela?
- Nops, odeio quando isso acontece.
- Travis pode ajudar. – Jay mandou mensagem para o amigo. Mas a resposta veio cheia de emojis.
- Porra, ele já tá bêbado. – Luna gargalhou. O bar enchia a cada minuto que passava, Luna e Jay terminaram suas horas de trabalho e se juntaram ao amigos, mas logo foram embora, andando pelo estacionamento.
- Vou por aqui – Luna falou.
- Vou com você, blondie – Matt falou, abraçando Travis e Jay. – Pego vocês às 6h.
- Yes sir! - Se despediram e Travis e Jay viram o carro do Harry.
- Esse carro do... – Ao se aproximar, viu Harry dormindo no carro. – MAS QUE PORRA?
- QUÊ? – Jay viu pela janela. – É só o Harry, seu idiota.
- Guys? – Harry abriu a janela. – Vocês estão bem?
- Mas que merda tu faz aí? – Travis perguntou, confuso.
- Dormindo?! – Jay bateu em sua testa. – Eu meio que esqueci de solicitar um quarto, e não quero pedir dinheiro ao meus pais, daí... aqui estou até abrir uma vaga.
- Você pode ficar com a gente – Jay falou.
- Você pode... Wait, what? – Travis parecia confuso.
- Temos um quarto sobrando – Jay falou e Travis parecia se lembrar.
- Não quero incomodar... – Travis o cortou.
- Amigo, você já me incomodou fazendo essa aqui gem... – Jay tapou sua boca.
- Cala a boca, sua bicha loira. – Harry gargalhou.
- Ok! Mas eu vou ajudar nas despesas enquanto estiver lá – falou, fechando seu carro. – Ok?
- Yes sir! – Travis o ajudou com as malas.

Eram 6h da manhã quando Matt e Luna chegaram no prédio dos amigos. Travis usava um óculos escuro e andava engraçado, estava com ressaca.
- Parece que esse ano você é o cara da ressaca, hã? – Matt falou.
- HAHA engraçado pra caralho. – Travis mostrou o dedo e os amigos riram. Matt dirigiu pelo enorme campus até chegar nos prédios que ficavam lado a lado, de Jornalismo e Arquitetura/Design. Os amigos saíram do carro e encostaram no mesmo.
- Lá vamos de novo! – Matt falou.
- Que dor! – Luna e Travis falaram juntos.
- A gente se vê na peneira – Jay falou e seguiu com Luna.
- Ei, wait, elas jogam futebol? – Harry perguntou.
- Yep! Provavelmente melhor que você – Travis falou, andando. – E eu e Matt também jogamos.
- Bem-vindo, Harry! – Matt falou e Harry, pela primeira, vez sentiu que sua nova vida iria começar, mas que estava em boa companhia.

4. A Place in This World.


Harry esperava por seus amigos sentado no corredor, mexia em seu celular para passar o tempo. Foi despertado de seus pensamentos por uma figura feminina.
– Com licença... – Olhou assustado e viu uma loira sentar do seu lado. – Você pode me ajudar? Acho que estou perdida.
– Hm? – Harry olhava em seus olhos azuis. – O quê?
– Acho que estou perdida. – A loira sorriu. – Eu sou Gia.
– Harry. – Sorriu animado. – Não sei se vou conseguir ajudar... Sou novato...
– Mas eu posso! – Travis sentou do lado da loira e Harry revirou os olhos. – Hmm, literatura é lá no prédio da frente, querida. É só ir por dentro, fácil, fácil.
– Obrigada! – A loira levantou-se. – Gia.
– Travis.
– Obrigada, meninos, vejo vocês por aí. – Gia saiu andando.
– Apaixonou Collins? – Matt perguntou e Travis gargalhou.
– Muito engraçado. – Travis revirou os olhos. – Podemos treinar?
– Yep! – Seus amigos falaram juntos.
– E as meninas? – perguntou.
– Treinam uma hora mais cedo, já devem estar lá – Matt comentou.
Os amigos foram direto para o vestiário para porem seus uniformes de treino. Travis e Matt explicaram ao novato sobre como seria a peneira, vários novos jogadores iriam disputar três vagas no time, a pré-temporada durava em média dois meses, e até lá o treinador revelaria os novos jogadores. Estavam caminhando até o campo, como chegaram um pouco mais cedo, sentaram na arquibancada.
– O que preciso saber? Qual a posição das meninas? – Harry perguntou, olhando as amigas conversarem com o treinador.
– Jay é meia-atacante e a Luna é zagueira – Travis falou ao amigo. – Ah, Luna foi a capitã ano passado.
– Isso deve se repetir esse ano! – Matt falou, orgulhoso.
Really? – a surpresa no tom de Harry fez Travis revirar os olhos.
– Sério? Por que a surpresa?
– Não sei, ela não tem esse perfil. – deu de ombros.
– Você tem que parar de tirar conclusões baseadas só pela aparência – Travis falou. – Isso é péssimo, e todos nós já sofremos por causa disso.
– Verdade! – Matt concordou.
Sorry. – Harry sorriu de lado.
– Tudo bem, você vai aprender, jovem Jedi! – Travis riu. As meninas terminaram seus trabalhos e se aproximaram dos amigos.
Hey bitches! – Jay chegou, abraçando Travis.
– Ai vaca, tá toda suada. – Travis ria da amiga. – Lu, o Harry ficou chocado que você é a capitã!
– Hm, quero é novidade. – Luna deu de ombros e Harry pensando em se jogar da ponte.
– Foi sem querer, querendo?! – Todos riram, menos Harry.
– Tudo bem, já estou acostumada.
– Não deveria estar – Jay falou tomando agua.
– Bom, vamos? Preciso de um banho. – Luna abraçou a amiga de lado.
– Yep! Vejo vocês depois. – As amigas caminharam abraçadas até o vestiário. Matt fez careta quando viu seu celular.
– Aff Hanna? – Travis levantou rápido.
– Sim, ela voltou a ligar o tempo todo. – Revirou os olhos.
– Não bate bem dá cabeça? – Harry perguntou.
– Yes! – Harry riu quando os amigos falaram juntos.
– Vamo treinar, bichinhas! – Travis bateu nos amigos antes de descer para o campo.

Um mês se passou e os cincos amigos estavam nervosos com o fim dos treinamentos. Estavam sentados no bar conversando e especulando sobre a última semana de treinos.
– Acho que você entra, meu amigo – Matt falou comendo batatinhas.
– Você é melhor que a maioria deles – Travis dava força ao amigo.
– Espero que vocês estejam certos. Vim pra cá e falhar na primeira tentativa é foda. – Harry virou o seu copo de cerveja.
– Calma! Tu acha que me dei bem quando cheguei aqui? – Luna falou. – Passei por essa fase inteira sofrendo bullying.
True! – Jay concordou. – Oh shit!
– Quê? – Luna perguntou.
– Sua roommate tá aqui – falou, querendo rir.
– Hey guys! – Sophie falou, rindo. – Jay, a Em pediu pra te entregar isso.
– Oh! – Jay pegou um guardanapo com o telefone da ruiva. – Obrigada!
– Nada! Vejo você em casa, Lu! – Sophie se afastou e os amigos gritaram.
– Dá pra parar, Jesus? – Jay falou, tomando um gole da sua Ice.
– Você sempre consegue as minas – Harry falou.
– Inveja? – Jay riu, implicando com o amigo.
– De quem? – Travis falou e arregalou os olhos. – Hm ok, acho que bebi demais.
– Percebi! – Luna riu do amigo. – Vamos dançar?
– Só se minha mulher deixar. – Olhou para Jay.
Whatever dude! – Jay falou, rindo, e os amigos foram dançar.
O restante da turma continuou batendo um papo quando o celular de Matt vibrou.
– Mas que merda – Matt falou com certa raiva. – Essa mulher não vai parar de me ligar?
– Já tentou dar um fora? – Jay falou.
– E precisa? – Matt revirou os olhos. Harry percebeu a tensão e lembrou que Travis ainda não contou o que tinha acontecido. Quando chegaram no apartamento Jay foi para seu quarto e Travis sentou no sofá e ligou a TV, Harry sentou ao seu lado, curioso.
– O que acontece entre Jay e Matt? – perguntou de supetão e Travis bufou.
– É complicado. Como você sabe, a gente tá aqui faz um tempo, estudamos juntos no colégio. – Travis se ajeitou no sofá. – Eles gostam um do outro, mais do que amigos.
– Oh!
– Você sabe que a família do Matt é royal né? – Harry acenou positivamente com a cabeça. – Então, o que você acha que uma madame, muito da metida, acha do filho namorar uma garota... americana, tatuada, piercing e oh, bissexual?!
– Nossa. – Harry estava chocado. – Mas ele não fala mais com a mãe.
– É, mas já era tarde demais, eles meio que se afastaram disso, e, bom, ele começou a namorar a Hanna e tudo foi pra merda.
– Mas eles se ficam sempre, né?
Always! Eles ainda se gostam, mas são orgulhosos demais pra admitir. – Travis bufou novamente.
– Que... complicado! – Harry falou.
– Imagina pra mim, que to vendo isso na primeira fila desse filme. – Travis riu. – Não entenda errado, eles são bastante amigos etc. Mas quando ambos estão em relacionamentos... Eles se afastam um pouco.
– Hanna?
– Quase acabou com a frágil amizade deles, essa guria é louca, queria mandar nele... Falou pra deixar de falar com a Jay etc.
– Ela sabia? – perguntou curioso.
– Claro, você também notou a tensão. Imagina essa louca – falou. – E acharia legal ele nunca saber da escapada de vocês.
– Só ficamos uma vez, e não vai acontecer again. Jay é como uma melhor amiga pra mim – falou sério. – Admito que bateu aquela crush, mas já to de boa.
– Bateu aquela crush... – Travis gargalhou. – Até eu tive.
Os dois riram, conversaram por mais alguns minutos e foram dormir.

Os meninos estavam na arquibancada enquanto o último treino da pré-temporada das garotas chegava ao fim. O treinador realizou um jogo treino para decidir quem ficaria no time titular.
– Será que elas serão titulares? – Harry perguntou.
– Você já viu elas jogarem? – Travis perguntou.
– Sim.
– São boas?
– Ótimas!
– Qual a necessidade da pergunta, então? – Matt gargalhou e Travis bateu na testa de Harry.
– Nossa, que rude – Harry falou e os amigos riam de sua reação.
– Única dúvida que tenho é se essas vacas vão votar na Luna novamente pra capitã – Travis falou.
– Claro que vai ser – Matt falou confiante. – Right?
Right! – Travis olhou para Matt.
As meninas terminaram o jogo e sentaram-se no gramado.
– Estou nervosa demais, amiga – Jay falou.
– Calma mulher, você fez mais gols que o Walcott.
– Isso não é difícil e... – Luna fez careta e Jay riu. – To brincando, blondie. Jesus.
– Sei, você é invejosa. – Jay gargalhou.
– São tão loser, mas é tão bonito o rosto – Jay falou e Luna bateu na amiga.
– Bom, meninas, vamos começar, né? – O treinador começou a distribuir as camisas do time, Luna segurou a mão da amiga, apertou a mesma quando o nome de Jay foi anunciado. A morena levantou e pegou sua camisa. Luna foi chamada.
– Luna, você novamente foi votada para ser a capitã do time. Parabéns, querida. – Luna pegou a faixa e se afastou, abraçando Jay. Olhou para a arquibancada e levantou os braços para os amigos, que gritaram seu nome. Os meninos estavam sentados na grama, assim como as meninas ficaram, Matt foi chamado.
– Parabéns, Matthew. – Matt pegou sua camisa. – Senhor Harry.
Oh fuck! – Harry levantou nervoso. – Senhor?
– Seja bem-vindo, filho. – Pegou sua camisa e abraçou Matt. – E, por último e não menos importante, Travis.
– Não assusta assim, cara. – Pegou sua camisa.
– Desculpe, mas deixei você por último porque, Travis, você foi o mais votado para capitão dessa temporada.
– HAHAHAHAHAHAAHAHA – Travis gargalhou. – Wait, você tá falando sério?
– Yep! – Matt correu e abraçou o amigo.
Holy shit! – Jay correu e abraçou os amigos. Luna e Harry se juntaram aos amigos.

Os amigos comemoravam o início da nova temporada, Jay conversava com Luna no balcão do bar.
– Eu não tô trabalhando hoje, Roger – Jay falou. – Então me poupe, vá trabalhar.
– Grossa! – falou.
Always baby! – Pegou sua bebida e um prato de batata frita.
– Então, losers... – Jay sentou ao lado de Matt, e Travis e Harry se entre olharam. – Vamos brindar!
– Aos amigos?! – Luna falou e todos concordaram.
– Aos amigos! – todos falaram juntos.
– Até Arsenal e Chelsea! – Harry falou, rindo, e os amigos começaram a rir.

5. Fall to Pieces.

- A gente ganhou e isso que importa, certo? - Harry perguntou sem jeito e Travis revirou os olhos. - Matt? Uma ajudinha?
- Tô fora! - Matt pegou sua mochila e saiu do vestiário em silêncio.
- Eu odeio perder, certo? Todo mundo odeia. Mas eu odeio ganhar desse jeito - falou, terminando de se vestir.
- Sinto muito! - Harry falou, saindo do vestiário.
- Whatever dick! - Travis bateu a porta do seu armário com força.
- Todo jogador força um pênalti, Travis. Para de frescura - Luna falou. – E ano passado você mesmo fez isso.
- Mas eu acho que fiquei puto do mesmo jeito, não loira azeda? – Luna revirou os olhos.
- Porra, ainda tá achando que tá certo? Para de babaquice – Jay falou, batendo na testa do amigo. – Que coisa.
- Hm, não vem defender seu amiguinho novo. Só porque se pegaram hard acha que pode ficar do lado dele. – Luna riu, mas logo parou quando Jay fechou a cara.
- Fala baixo, bicha. Que homem chato, para de ser idiota. Você sabe quando você voltar em si vai ficar com depressãozinha porque falou muita merda. – Travis olhou para Luna e a loira concordou.
- Aff, cansado de vocês, bitches! – O americano virou sua cerveja e as meninas riram. Travis sabia que estava errado e que provavelmente estava sendo babaca, mas a raiva o fazia ficar cego. Foi para casa e encontrou Harry estudando na mesa atrás do sofá.
- Ei man! – Harry falou, sem jeito, e Travis riu.
- Ei, me desculpa pela confusão etc. – Travis se aproximou do amigo. – Eu estou sendo babaca sem noção. Sim, isso também acontece com os elfos, Jay é provavelmente a pior.
Harry gargalhou e levantou para abraçar o amigo.
- Ei guys.. – Matt abriu a porta e se assustou com a cena. – Ok...
- Cala a boca e vem aqui! – Travis falou chamando o amigo, que se juntou a eles. Os garotos passaram o resto do dia estudando para uma prova no dia seguinte. Jay e Luna chegaram quase uma da manhã e os amigos ainda estavam estudando, ou quase.
- Hello losers. – Jay bateu a porta, acordando os amigos. – Estudaram muito? Tipo os sonhos?
- Fuck you! – Travis mandou o dedo do meio para a amiga e foi para seu quarto.
- Dormirei também. – Harry beijou a testa de Luna. – Boa noite.
- Vou tomar banho. – Luna entrou no banheiro. – Bye.
- Acho que vou indo – Matt falou.
- Claro que não, são quase duas da manhã, Matt. – Jay falou, preparando um sanduíche. – Dorme aqui.
- Sério? – Matt parecia surpreso. – Você não se incomoda?
- Claro que não. De onde você tirou isso? – Jay sentou-se do seu lado.
- Não sei, só pensei... – Jay o interrompeu.
- Esse é seu problema. – Jay sorriu, lhe entregando um sanduíche. Os amigos conversavam tranquilamente quando Luna saiu do banho.
- Isso não é coisa que se ver todo dia – falou, passando para a cozinha.
- Era pra ser engraçado? – Matt riu e olhou para Jay.
- Hm, preciso tomar banho. – Levantou rapidamente. – Lu, tem comida na geladeira.
- Ok. – Luna pegou algo pra comer e sentou-se no chão, já que Matt já estava deitado no sofá. – Espero estar viva pra ver vocês pararem de ser um bando de trouxa.
- Que grossa...
- Tô falando sério, idiota. – Luna parecia realmente estar falando sério, Matt a olhou.
- Mesmo se eu ainda quisesse, você conhece a Jay... Ela é orgulhosa – falou.
- Aff, isso é muita frescura de vocês.
- Como assim?
- Come on, Matt. Vocês são adultos agora, tudo mudou, você enfrentou sua mãe, escolheu a gente e tudo, pensei que ela fazia parte da mudança, mas não sei quem é o mais idiota – Luna falou com um tom bravo e Matt riu.
- Ok, senhora. Quem sabe um dia. – Matt se mexeu no sofá. – E ela tá de rolo com a ruiva.
- Gosto da Emily, mas elas nem ficaram ainda. E isso quer dizer nada. – Luna levantou. – E você namorou a louca da Hanna, daí tu tira as cagadas.
- HAHA... – Matt tentou bater na amiga com a almofada. Jay saiu do banheiro e viu que todos estavam dormindo, viu Matt dormindo com a TV ligada e a desligou calmante. E cobriu o amigo, beijando sua testa. Chegou no quarto e Luna já estava dormindo. Resmungou o fato da amiga ter tomado a cama toda. “Ridícula”, pensou.

- Mas que cena interessante eu vi no quarto da Jay. – Harry falou animado.
- Ridículo. – Travis riu. – Ela nunca viu a Luna assim, assim como não vejo vocês.
- Ok, sorry. – Harry levantou os braços. – Agora vamos que temos prova.
- E treino? – perguntou confuso.
- Yep, já temos jogo amanhã. – Travis falou e pegou suas coisas. – JAY PORRA, ACORDA QUE VOCÊS TEM TREINO MAIS CEDO, VADIA.
- O amor de vocês contagia – Matt falou batendo no ombro do amigo. Jay apareceu caminhando lento até o banheiro, mas antes mostrou o dedo ao amigo, fazendo todos rirem. Luna reparou que Hanna estava observando Jay do outro lado do campo.
- Queria ter permissão pra dar na cara dessa cuzona. – Jay riu.
- Tá tudo bem, deixa essa louca pra lá, Matt finalmente deixou essa aí. – Luna concordou. – Só espero que ela deixe ele em paz.
- Além de tudo é stalker, não acredito que essa vadia é líder de torcida dos times de futebol. – Cruzou os braços. – E meu ex-traidor-filho-da-puta também, por mim morriam todos.
- Tanto ódio é esse nesse coração adorável? – Luna sorriu. Viu o time masculino chegando e acenou para os amigos. – Será que Travis tá mais calmo?
- Yep, mas ele deve dá uma dura nos caras. – As duas se olharam dando de ombros. Quando as duas estavam saindo do campo ao final do treino, Matt e Harry chegaram por trás carregando as duas.
- MATTHEW ME PÕE NO CHÃO, SEU RIQUINHO DE MERDA – Jay gritou e Matt gargalhou.
- Ui que medo! – falou rindo.
- Aff Harry, vai se fuder. – Luna ficou parada no ombro do brasileiro.
- Nossa, qual a graça de te zoar, blondie? – Luna sorriu, era a primeira vez que ele chamava ela pelo apelido.
- Nenhuma? – falou, sorrindo, quando ele a colocou no chão, mas logo ficou brava quando o amigo bagunçou seus cabelos. – Idiota!
- Awww. – Harry beijou sua testa e saiu correndo. Matt colocou Jay no chão e a abraçou.
- Idiota! – falou enquanto estavam abraçados.
- Também te amo, JJ. – falou acompanhando Harry de volta ao treino.
- Nossa, faz tempo que ninguém te chamava assim.
- Right!
As meninas foram se organizar para o trabalho. Enquanto isso o técnico dava a voz a Travis antes de encerrar o treino.
- Só queria pedir desculpas por ter sido um babaca. Sim, isso acontece comigo também, queridos. Mas eu só quero que esse ano a gente ganhe esse campeonato.
- A gente também, bro – Matt falou, apoiando o amigo.
- HELL YEAH! – Harry gritou, sendo acompanhado pelo resto do time. Travis levou Harry para a redação do jornal da faculdade para seu último teste e Matt ainda se arrumava. Teve uma surpresa não muito agradável quando viu Hanna.
- Mattie! – A loira falou um pouco alto. – Estava com saudade.
- Hanna, já conversamos sobre isso – falou calmo.
- Eu sei, eu pedi pra você escolher entre mim e seus amiguinhos e, bom, eu levei a pior. – Matt revirou os olhos e seguiu seu caminho, mas, para seu pesadelo, a loira o seguia.
- O que você quer? – falou um pouco irritado.
- Queria saber como foi saber sobre sua preciosa Jay e seu novo melhor amigo Harry. – Matt parou por uns segundos antes de virar e confrontar sua ex.
- Não vem inventar merda, Hanna – falou, nervoso.
- Aw querido, não sabia que eles ficaram? Ou ficam? Vai saber, não é? – Matt custava a acreditar nela, mas, no fundo, sabia que os dois ficaram amigos muito rapidamente. – Sabe que tenho olhos e ouvidos em todo lugar.
- Não acredito em você. A que ponto você chegou, Hanna... – Matt nunca tinha atuado tão bem na vida, estava na dúvida, mas nunca iria dar esse prazer a Hanna. Correu em direção à redação e entrou correndo na sala de Travis, que levou um susto.
- Cacete! – falou assustado.
- Me fala que é mentira! – falou, irritado, e Travis engoliu a seco.
- O quê?
- Que a Jay tá com o Harry... Me fala agora, Travis. – O americano fechou os olhos.
- Matt, se acalma, claro que eles não estão juntos. O Harry tem namorada.
- Travis, não me enrola.
- Eles podem ter dormido juntos logo quando ele chegou aqui... – Matt não deixou Travis terminar e saiu que nem uma bala.
Fuck”, foi a primeira coisa que ele pensou ao ir atrás do amigo. Chamava por Matt, mas ele estava com muita raiva para ouvir. Chegaram ao bar e Jay viu a cara de desesperado de Travis. “Oh shit”, falou baixinho. Matt, sem pensar, deu um soco em Harry, que caiu da cadeira e foi ajudado por Luna. O bar inteiro ficou em silêncio por alguns segundos, até Matt começar seu discurso.

6. Love the Way You Lie.

- Então… vocês fazendo as coisas nas minhas costas. – Jay riu ironicamente. – E você ainda ri da minha cara, Jane?
- Não me chama assim, idiota. Eu não fiz nada de errado – falou cruzando os braços.
- O quê? Ele era meu amigo! – Matt falou, irritado.
- Ainda sou, Matt. – Harry segurava um pano em seu nariz. – Eu não te conhecia na época.
- Ele tá certo, mate. Para com isso. – Travis segurou o braço do amigo, mas Matt estava vermelho de raiva.
- YOU! – Apontou para Jay, que permanecia encostada em uma parede de braço cruzados. – Você, como você... Porque você escondeu isso de mim?
- Porque não é da sua conta! Ou porque simplesmente você não entenderia... a lista é longa, Matt! – Quando Matt tentou falar, Jay o pegou pelo braço. – Vem aqui!
- Jay?! – Travis arregalou os olhos.
- Cuida do nariz dessa criatura, Travs. I’m fine! – Sorriu de lado e saiu em direção ao depósito do bar.
- Jay...
- Cala a boca, você já fez seu showzinho. Não é o primeiro, mas vai ser o último. Matt, eu amo você, mas você tem que parar de achar que te devo satisfação da minha vida. Você é meu amigo, e espero que essa amizade continue, Matt. Mas não dá pra continuar assim.
- Jay... sinto muito. – Matt estava com os olhos marejados. – Você devia ter me contado.
- Eu... Talvez você tenha razão, me desculpe por isso... – Jay arregalou os olhos. – Quem te contou?
- Hanna insinuou e... – Jay bateu em uma parede. – Ei!
- Aquela vaca vai tentar sabotar nossa amizade até quando?! Vaca! Eu vou acabar com aquela puta. – Matt riu e Jay o olhou.
- Você se importa! – Jay revirou os olhos.
- Você sabe que sim. – Ficaram se olhando por um tempo até Matt puxar Jay para um abraço. – Mat...
- Hm... Yeah me too. – Matt a apertou forte.

Harry estava sentado quando Matt apareceu desconfortavelmente em sua frente. Travis só observava.
- Eu sou um idiota! – Matt falou e Travis concordou. – Me desculpa, eu sei que...
- Mate, tá tudo bem. – Harry falou. – Eu nunca faria isso. Não sem te consultar.
- Eu sei. – Matt apertou o ombro do amigo.
- Awww, que lindo! – Travis falou, rindo. – Podemos parar com a frescura?
- Deixa de ser chato! – Matt falou, sentando-se.
- Você faz escândalo e eu sou chato? – Travis bateu no amigo indignidado e Matt deu de ombros.
- Matt, me arriscando a levar outro socão e tal. Mas posso pergunta uma coisa? – Matt balançou a cabeça positivamente. – Porque não vai atrás dela, cara?
- Harry! – Travis falou e Matt segurou a mão do amigo.
- Calma cara! – Matt sorriu de lado. – É complicado!
- Mas você a ama que eu sei. Senão, eu ter dormido com ela não iria fazer diferença. – Matt sabia que o amigo estava certo. – Nunca imaginou como seria?
- Sempre. – Matt abaixou a cabeça mexendo em seu copo. – E sua garota do Brasil?
- Namorar a distância é complicado, amigos. Disso tenham certeza!
- Carmen, right? – Harry concordou. – Eu já namorei assim.
- E aí? – Harry perguntou e Travis sorriu.
- Eu tô solteiro, não estou? – falou, rindo.
- É! – Harry virou seu copo. – Pior que sou apaixonado por ela.
- Sei como é – Matt falou.
- Vocês estão me deixando deprimido. – Travis foi ao banheiro e os amigos riram.

- Tá bem, amiga? – Luna perguntou, arrumando alguns copos no bar.
- Sim, por que não estaria? – Jay falou rápido.
- Não te conheço de hoje, J.J. – Luna riu e segurou a mão da amiga. – Eu to aqui.
- Eu sei, blondie. Obrigada! – As duas se abraçaram e Travis apareceu, abraçando as duas. – Você não pode ficar aqui no bar.
- Eu sei! – Falou, não ligando para a regra. – Sou o cliente mais fiel dessa merda.

O time dos meninos venceu um clássico e o time inteiro estava comemorando no bar, era folga de Jay, mas não a impediu de ajudar Luna. As duas pareciam bem ocupadas, estava movimentado e muita gente ainda gritava o hino da faculdade.
- Odeio esse hino idiota – Luna falou, colocando algumas cervejas em sua bandeja.
- Todo mundo odeia, blondie. – Jay ria das caretas da amiga. – Sabe, eu to tentando beijar a Emily faz uma semana.
- E por que não beija, criatura? – A loira falou com a mão na cintura.
- Aquela conversa com o Matt...
- Ai Jesus... Eu te dou dez minutos pra beijar a Sem. – Luna falou, séria. – D-E-Z!
- Mas Luna...
- Mas uma merda... A garota tá a fim de você, ela é linda, legal e ruiva. Tá esperando o quê? O Matt empurrar você? – disse. – Agora vai!
- Ok ok ok. Tá parecendo o Travis. – Jay procurou por Emily e não achou, até que olhou pra Luna e a loira apontava para Emily, ela estava com Soph em um canto. Andou até ela com dificuldade pela quantidade de pessoas. Ao chegar perto, Emily sorriu. – Hi!
- Hey! – A ruiva sorria, então Jay fez o que tinha que ser feito, segurou o rosto de Emily com as mãos, juntando seus lábios aos dela. O beijo foi intenso, mas bem calmo. Quando Jay se afastou, a ruiva sorriu e suspirou “finally”, fazendo Jay sorrir, a beijando novamente. Harry, que conversava com sua namorada por WhatsApp, tomou um susto quando Travis chegou perto dele dando um braço.
- OLHA AQUILO! – O brasileiro riu. – Jay saiu da seca.
- Acho que ela nunca...
- Ela não ficava com ninguém desde você, querido – Travis falou.
- É, sou bom mesmo. – Travis revirou os olhos.
- E você? – perguntou e Harry mostrou seu celular.- WOW, quanta grosseria em uma só conversa.
- Tá complicado, T. – falou, mexendo em seu cabelo, que estava maior do que imaginava.
- Não pior que ele. – Matt estava sentado com alguns colegas. – Trouxa!

Jay chegou em casa e seus amigos estavam vendo filme na sala. Jogou suas chaves no balcão da cozinha e sentou-se no meio dos dois.
- O que estamos vendo? – perguntou, roubando batatinhas de Harry.
- Game of Thrones... – Travis deu de ombros.
- Mas esse eu já vi! – falou com a boca cheia.
- Ninguém te perguntou nada, porquinha. – Harry riu.
- Grosso – falou, se acomodando no ombro de Travis.
- Sério que eu vou ter que perguntar? – Travis falou. – Aff.
- Não aconteceu nada, a gente ficou, cabeção – falou, rindo.
- Mulheres! – falou, encostando a cabeça na da amiga. – As pessoas, elas são complicadas.
- E o Tom? – Harry falou, rindo.
- O TOM DO TIME DE VOCÊS? – Jay gritou e Harry gargalhou.
- Obrigado Collins! – Travis falou. – É, o Tom.
- E você não me conta?
- Não tem o que contar, ele só tá mandando umas cantadas... bem ridículas – falou, dando de ombros.
- Mas você tá gostando – Harry falou.
- Porra, Harry! – Jay gargalhou.
- Qual o problema? – Jay perguntou, confusa.
- Ele ainda tá no armário, Jay! – o americano falou. – Não quero voltar pra lá.
- Aff Travis! – falou, irritada. – Não é tão fácil, nós sabemos bem.
- Eu sei, eu sei, chata!
O celular de Harry tocou e ele foi para o quarto. Jay e Travis continuaram a conversa, perderam a noção da hora, mas voltaram sua atenção a Harry quando ele se sentou no sofá em transe.
- Acho que acabei de terminar meu namoro – Harry falou e seus amigos se entreolharam.

7. We Are Never Ever Getting Back Together.

Harry abriu a porta do apartamento que dividia com seus amigos e encontrou Travis sentado no chão com a mesa de centro cheia de livros e papéis, sorriu quando o amigo se assustou.
- Hey! – Travis mexeu nos cabelos. – Como foi seu encontro?
- Dude, foi legal. – Jogou as chaves no balcão da cozinha. – Cadê a Jay?
- Vendo série no quarto.
- Provavelmente dormindo – falaram juntos e sorriram de leve.
Harry tirou seu casaco e foi em direção ao quarto da amiga. Jay dormia tranquilamente com seu notebook ao seu lado, Harry sorriu e deitou ao lado da amiga, a abraçando, ficando de conchinha, Jay pegou sua mão e falou rouca:
- Foi tão ruim assim?
- Não. Mas também não foi tão bom assim – falou, dando de ombros.
- Sinto muito!
- Tá tudo bem. – Suspirou. – E seu sábado?
- Trabalhei e vi série. Falar nisso, quero um Barry Allen pra mim – falou e os dois riram.
- Achei que tinha desistido dos homens. Gosto bem mais do seu lado lesbian.
- Yeah right.
Os dois ficaram em silêncio. Ouviram a porta do quarto abrir e Travis entrou sonolento, tirou o notebook da frente da amiga e deitou, olhando para o teto. Jay abraçou o amigo.
- Nossa, quem diria que as três pessoas mais lindas dessa faculdade estariam no 0x0 – falou, rindo, e os amigos o acompanharam.
- É – Harry falou.
- Hm, eu sei que você gosta dela, mas eu sempre estarei aqui – Jay falou e Harry a abraçou mais forte.
- Eu também. – Travis mexeu no cabelo do amigo.
- Thanks guys – Harry falou, sincero.
Ele sabia que eram seus amigos de verdade, independentemente de qualquer coisa, ele tinha uma família que o apoiaria em qualquer situação. Ele sorriu e os três amigos ficaram em silêncio.

Luna abriu a porta do apartamento dos amigos e riu, lembrando que fez uma chave escondida, os viu dormindo na cama de Jay quando se aproximou do quarto. Sorriu e colocou suas coisas na mesa. Bateu na porta de leve e Harry acordou.
- Hi! – falou baixinho e a loira riu.
- Tá bem? – Harry acenou com a cabeça. – Vem, trouxe café da manhã.
- Oba! – Harry se levantou com cuidado e seguiu Luna até a cozinha. – Hmm, que cheiro é esse?
- Esses salgados da Rose são demais, sério. – Luna separou os salgados em quatro pratos. – Todos são de queijo pra não rolar treta.
- Morning! – Travis e Jay se sentaram no balcão da cozinha. – OBA, PASTEL DE FORNO!
- MEU OU-VI-DO PORRA! – Jay deu um soco no braço do amigo. – Hi blondie!
- E aí, pessoas? O que fizeram ontem? – perguntou, comendo.
- Eu estudei, Jay viu série, Harry teve um encontro... – Travis falou, entediado, e Luna riu.
- E aí, Harry... se deu bem? – perguntou.
- Nops, só fiquei pensando na Car. – Bufou. – Que bosta ein.
- É amigo, eu demorei pra superar o outro. – A loira mexia em sua comida.
- Claro, ele.te.traiu.com.a.vadia.que.dividia.o.quarto.com.você. – Jay falou pausadamente e Luna gargalhou. – Aliás, acho que você devia ter deixado o Matt bater nele.
- Eu o quê? – Matt entrou no apartamento. – O que eu fiz now?
- O que você deixou de fazer, amor – Travis falou com a voz afetada.
- Oh querida, me desculpe – brincou. - Bater no outro.
- I hate that guy – falou, pegando um salgado.
- Amo vocês, de verdade. Mas não valeria a pena – falou, abraçando Matt de lado.
- Valeria sim – todos falaram e Luna revirou os olhos.
- Até você, Harry? – perguntou e viu Harry se aproximar com seu prato vazio.
- Yep, você é muito preciosa pra passar por essas coisas. – E beijou sua testa.
- Awwwwwwwwwww, depois que acabou com a namorada ele ficou tão romântico – Travis falou, batendo palmas.
- Eu sempre fui, seu idiota – Harry falou, indo ao banheiro, e todos riram.

Os amigos estavam na sala, vendo maratona Daredevil na Netflix. Travis preparava o almoço, mas sempre prestando atenção na TV. Com o almoço pronto, chamou os amigos e arrumaram a mesa. Enquanto se serviam, Harry pediu um brinde.
- Quero fazer um brinde.... – Levantou seu copo de Coca-Cola. – Aos ex-namorados, aos próximos e aos depois desses.
- Amém! – Luna falou e os amigos riram. - E você, JJ, como tá com a Emily?
- Ué, a gente fica etc – falou, dando de ombros.
- Hm... E onde ela está que vocês não saíram ontem? – Harry perguntou.
- Viajou com as amigas. Acho – falou com a boca cheia.
- Nojenta – Travis falou.
- Bicha. – Mostrou a língua ao amigo.
- Crianças, se comportem na mesa – Matt falou rindo.
- Cala a boca, Matthew! – os amigos falaram rindo.
Ficaram em silêncio por um tempo até que Harry quebrou o silêncio.
- E vocês, como está a vida amorosa? – Olhou para os amigos.
- Ainda esperando o Tom dar o primeiro passo, pois não sou obrigado a sempre ser o primeiro.
- Que besteira – Jay falou.
- Até parece. Se não fosse por mim, você também estaria assim com a Em – Luna falou e a amiga mostrou o dedo do meio.
- E você, Matt? – Travis perguntou.
- Ainda com Hanna no modo stalker? – perguntou uma Luna debochada e Jay riu.
- Pior que sim.
- Já tentou explicar? – Harry falou.
- Ou desenhar? – Jay falou baixinho, mas todos da mesa ouviram.
- Não sei mais o que explicar.
- Gente, o que acontece com nosso gosto amoroso?
- Depende! – Matt e Jay falaram juntos e Travis arregalou os olhos. Os amigos ficaram em silêncio, continuaram a comer.
Jay atendia uma mesa quando seus amigos chegaram e sentaram na mesa de sempre. Luna sorriu para eles, estava servindo algumas bebidas na mesa ao lado. O bar estava tranquilo naquela noite de domingo.
- Vão querer beber, queridos? – Jay perguntou sorridente.
- Se eu não quisesse beber, estava em casa jogando Candy Crush, querida - Travis falou e Jay o ignorou.
- Ok, então fica sem bebida. E vocês?
- O de sempre. – Jay falou um “ok” rápido e Travis gritou.
- EU QUERO MINHA BEBIDA, SUA REBELDE! – Jay apenas riu. Jay serviu os amigos e sentou um pouco. Luna se aproximou logo depois.
- E aí, o que vão fazer hoje? – Luna perguntou abraçada a Harry.
- Beber, comer, beber e ir dormir – Matt falou.
- Pode encaixar brigar com a Hanna, porque ela acabou de chegar – Travis falou rápido, mas Matt tinha entendido. Ficou nervoso, mas Luna o acalmou. Estava tudo tranquilo até Jay ser chamada em sua mesa.
- O que vão querer? – perguntou séria.
- Duas cervejas e uma porção de batata frita, por favor. – Jay não acreditou no que viu, o ex-namorado traidor de Luna estava na mesa de Hanna. – Scott?
- Oi Jay! – A garota ficou sem reação por uns segundos e saiu em seguida. Passou pela cozinha e entregou o pedido. Antes de ir ao bar, correu na mesa.
- Guys, vocês não acreditarão em quem está aqui! – falou baixinho.
- Já vimos a bruxa, amor – Travis falou.
- Não, quem está com a Hanna e seus amigos. – Jay olhou pra mesa e os amigos viram Scott conversando com Hanna.
- What the fuck? – Matt falou, dando um soco na mesa, Jay segurou sua mão.
- Quem?
- O ex da Luna, Harry – Travis falou.
- Mas que merda? – Harry fechou os olhos por um momento. – Que cara de pau aparecer aqui com a Hanna.
- Filho da puta! – Jay falou, saindo. – Blondie?
- AQUI NO DEPÓSITO! – gritou e Jay entrou no lugar. – What's up?
- Ok, o Scott tá aqui! – falou de supetão e Luna parou o que estava fazendo. – Com Hanna e seus amigos.
- Realmente os demons andam em grupo – Luna falou, rindo, e Jay riu.
- Você tá bem? – a morena perguntou.
- Sim. Ele não vindo falar comigo, tá tudo perfeito.
Luna pegou algumas garrafas e saiu. Jay apenas a seguiu. Jay serviu alguns petiscos para os amigos, mas sempre olhando Scott, evitaria ao máximo a aproximação dele com a amiga. Luna estava no caixa e informou ao colega que iria tirar uns 10 minutos, foi em direção à porta. Harry viu Scott indo atrás dela.
- Já volto – falou, rápido.

- Dá pra me soltar? – Luna falou irritada.
- Me escuta, blondie – Scott falava rápido demais.
- Não me chama assim, babaca. – Ele se aproximava e Luna fazia careta.
- ME SOLTA! – Luna tentava sair, mas sem sucesso. Quando Scott tentou beijá-la, sentiu duas mãos em seus ombros.
- Ela disse pra soltar ela, seu idiota. – Harry empurrou Scott, que caiu no chão. – Você tá bem?
- Yeah... – Luna falou, fazendo massagem em seu braço.
- Seu filho da puta... – Harry deu um soco em Scott, que caiu novamente no chão. – Eu vou matar você.
- Harry! – Travis e Matt chegaram com Jay. – Ei, deixa ele!
- Ele machucou a Luna! – Falou nervoso e Matt arregalou os olhos, quando pensou em ajudar Harry, Jay ficou na sua frente e segurou seu rosto.
- Ei, olha pra mim! – Jay olhava em seus olhos. – Lembra quando me falou que as coisas não se resolvem assim? Por favor Matt, preciso de você pra ajudar nossos amigos, pode ser?
- Hmm. – Matt respirou fundo, mas sua tentativa de se acalmar foi interrompida quando Hanna empurrou Jay.
- Solta ele, sua vadia. – Jay segurou em Luna. – Eu já disse pra ficar longe do meu namorado.
- Ei! Ex-namorado, quem tá fazendo merda aqui é você! Acorda, Hanna, acabou! Nós não vamos nunca voltar a ficar juntos! – Matt gritava, Travis segurava Harry.
- Mas, meu amor... – Hanna segurou o braço de Matt.
- NÃO! Já chega, eu quero você LONGE de mim. Entendeu? – Matt se afastou, ficando entre Jay e Luna. – E se você pensar em pertubar a Jay novamente, eu vou deixar ela meter porrada em você.
- Vocês se merecem! – Hanna puxou as amigas e Jay segurou o braço de Matt, encostando sua cabeça em seu ombro. Luna se aproximou de Scott, que estava no chão.
- Sabe aquilo tudo que o Matt acabou de falar? – Scott apenas piscou. – Vale pra você também, você me teve uma vez Scott, mas você... VOCÊ fudeu com tudo. Me deixa em paz, ok?
- Sinto muito – falou baixinho.
- É, eu também – falou, se levantando. Os amigos estavam entrando no bar novamente. Harry pegou seu celular e escrevia uma mensagem quando Luna sentou ao seu lado no banco em frente ao bar. – Obrigada!
- Que isso, loira! – Harry sorriu. – Estou me libertando, como Travis diria.
- Como assim? – Harry mostrou seu celular e lá tinha uma mensagem.

Espero que seja feliz, Car. De verdade. Tenha uma boa vida.

- Sinto muito! – Luna falou, deitando sua cabeça no ombro do amigo.
Harry sentiu sua camiseta molhar de leve. Abraçou Luna e deixou a amiga desabafar por uns minutos.

8. Sorry's Not Good Enough.

Com a semana de provas chegando, os amigos tentavam dividir seu tempo entre estudos, trabalho e os treinos. Jay e Emily estavam em um encontro no bar enquanto Luna trabalhava. A loira sempre parava na mesa da amiga para fofocar, Emily só fazia rir da sintonia das amigas. Travis chegou bufando, acompanhado de Harry, os dois estavam finalizando mais uma edição do jornal da faculdade.
- Hi bitch! – Travis beijou a testa de Jay e sorriu para Emily. – Ruiva!
- Hey T. – A ruiva sorriu lhe oferecendo um pedaço de hambúrguer.
- Como vocês comem isso e não engordam? – falou rindo.
- Sem, posso falar contigo? – Sophie chegou como uma bala. – É sobre aquela prova que você me perguntou.
- Opa, já volto. – Emily beijou Jay rapidamente.
- Me fala que você já deu um jeito nisso? – Travis sentou no lugar de Emily.
- Nisso o que, homem? – Jay perguntou desconfiada.
- Sexo amiga... – O jogador riu e Jay revirou os olhos. – Você não costuma demora a fechar o negócio.
- Amigo, eu sei. Mas com toda aquela história do Matt, mais o Harry. Deu um traumão...
- O que ela tem a ver? Não to entendendo.
- Talvez eu esteja louca...
- Você é louca, querida. Mas eu entendo, só bota na sua cabeça que aquilo já passou e ponto. – Travis saiu levantando ao ver Emily voltando.
- E aí, loira? – Harry sentou-se no balcão do bar e Luna sorriu. – Como está seu dia?
- Uma bosta... mas é o que tem pra hoje. – Harry gargalhou. – Vai querer algo?
- Hmm, vou esperar o Travis – falou olhando o cardápio. – Mas aceito uma cerveja.
- É pra já! – Luna se afastou e Travis se aproximou. – E aí?
- Tava dando uns conselhos ali, nada demais. – Deu de ombros. Luna colocou a cerveja no balcão e Travis bebeu. – Obrigado, querida.
- Era minha... – Harry falou.
- E sou seu chefe, agora vamos falar das coisas que faltam antes que eu morra. – Luna apenas gargalhou.

- Está entregue! – Emily falou quando Jay abria a porta.
- Mas você podia ficar um pouco, não? – Jay falou.
- Não quero atrapalh... – Jay beijou a ruiva ferozmente. Emily se assustou de primeira, mas logo estava envolvida. – Ok then...
Jay sorriu, fechando a porta com o pé. Ela segurava o rosto da ruiva, enquanto era segurada pela cintura. Emily tirou a camiseta de Jay, jogando longe e fazendo a americana rir. Sentou-se na cama, puxando Jay para si. A morena sentou por cima da ruiva. Quando suas roupas já estavam no chão e ambas deitadas, Jay espiou Emily dormindo e pegou seu celular e mandou uma mensagem para o amigo.

T, você é um idiota.

Travis, que estava na redação trabalhando no fechamento do jornal, gargalhou, chamando atenção de todo mundo. Harry foi até sua sala e perguntou o que tinha acontecido.
- Nada demais, só amo quando as pessoas me ouvem.
Harry não entendeu, mas riu da cara de satisfeito do amigo.

Estavam todos saindo do treino quando Matt quebrou o silêncio.
- Vocês vão trabalhar hoje? – perguntou olhando as amigas.
- Hoje é terça? – Luna perguntou e Matt concordou. – Só a Jay.
- Mas só o resto da tarde. Por quê? – Jay concluiu.
- Precisamos relaxar um pouco, talvez beber nem que seja duas garrafas – o britânico falou, coçando a barba, o que fez Jay revirar os olhos. Ela amava essa mania dele, Travis sabia e riu da amiga.
- Verdade, eu topo – Travis falou. – Meu funcionário também topa, porque o coitado virou a noite trabalhando.
- Obrigado, querido – Harry falou.
- É, eu estarei lá – Luna falou, puxando Jay.
- Bom, eu ESPERO VOCÊS LÁ – Jay gritou entrando no vestiário.

Jay estava em seu intervalo, sentada no bando do estacionamento, quando Hanna e suas amigas chegaram em seu carro. Jay terminou seu lanche e apenas ignorou.
- Olá Jane! – Hanna falou com desdém. – Vejo que ainda trabalha aqui. Sinto muito.
- Já parou pra pensar que eu gosto de trabalhar aqui? – Jay deu de ombros e Hanna riu.
- Ok... – Jay revirou os olhos. – Vai me servir não?
- Hm, estou no meu intervalo, então te fode. – Jay mostrou o dedo do meio para a morena à sua frente e Hanna saiu batendo os pés.
- O que esse projeto de Barbie queria? – Travis chegou ao lado de Harry.
- Não sei, morrer? – Jay sorriu.
- Fumou uns beck, Jay? – Harry perguntou sentando ao seu lado.
- O que você acha? – falou rindo. – Cadê Luna? Ela não ia vir com vocês?
- Ela foi em casa antes. – Jay sorriu e entrou com os amigos.
Já eram oito da noite quando os amigos estavam saindo do bar, cada um foi para sua casa. Jay e Travis viram suas séries juntos e Harry tocava algumas músicas em seu quarto. Jay pegou uma Ice que estava na geladeira, e comia algumas besteiras que o amigo tinha feito no dia anterior. Eram cinco da manhã e nada de Jay conseguir dormir, sentou-se na calma e passou a mão pelo rosto. Tentou levantar, mas ainda estava tonta da bebida do dia anterior. Única coisa que ela lembrava-se era das vozes dos amigos fora de seu quarto. Viu seu celular e já estava atrasada. Correu para o banheiro e fez suas necessidades rapidamente, quando voltou ao quarto e colocou sua roupa de treino, percebeu que ainda estava sob o efeito do álcool. “Porra”, foi a única coisa que conseguiu falar. Pegou sua bolsa e colocou seu livro. Saiu que nem uma bala, deixando seus amigos sem reação. Avistou Luna sentada no gramado e correu até a amiga.
- Amiga! – falou alto e Luna sorriu. – Fodeu pra mim.
- Por quê? – Luna arregalou os olhos.
- Eu acho que ainda to bêbada. – A loira abriu a boca e olhou para os lados.
- Você consegue esconder? – perguntou preocupada.
- Acho que eu fui Julieta no colégio... – Luna revirou os olhos.
- Amiga, lá vem o coach, se controla. – Luna arrumou o uniforme da amiga e piscou. Estava tudo indo como combinado, mas, quando começaram o coletivo, Jay começou a ficar tonta.
- Luna! – Jay falou ao lado da amiga.
- Oi. – Jay fez cara de nojo. – Vomitar? Puta merda, amiga.
- Ma... – Jay não terminou de falar e vomitou no gramado. O coach apitou e as meninas pararam de correr. – Merda.
- Jay? – Luna passava a mão pelas costas da amiga. – Tá bem?
- JAY! – O coach se aproximou das amigas. – O que aconteceu aqui?
- Jay tá de ressaca – uma das meninas gritou e Luna olhou com raiva.
- Isso é verdade? – o coach perguntou sério. – Jay?
- Sinto muito, não sei o que houve... Eu não sou disso... – Jay foi interrompida.
- Mas fez... Preciso que saia do meu treino, agora! – falou firme e Jay teve vontade de chorar. – Luna ajuda ela.
- Ok. – Luna levantou a amiga indo até a saída.
Travis andava de um lado para o outro nervoso, Jay estava sendo julgada pelo Coach e os membros da faculdade. Harry, Matt e Luna estavam sentados. Jay saiu como uma bala.
- Jay... – Luna levantou-se e acompanhou a amiga. – E aí?
- Em dois dias eles vão chegar a uma conclusão – falou.
- E por que tá correndo? – Luna perguntou, ficando em sua frente.
- To atrasada pro trabalho, amiga. – Sorriu de lado. – Eu to legal.
- Promete? – Luna abraçou Jay.
- Prometo. – Beijou a testa da amiga. – Obrigada por tudo, guys.
- Mas... – Luna viu a amiga desaparecer. – Porra.
- Ela tá nervosa. Deixa ela, vem cá. – Travis abraçou Luna.

Nos dois dias de espera Jay não tinha falado com ninguém, apenas saía para trabalhar e voltava para casa. Estava sentada do lado de fora da sala da direção quando viu seus amigos chegarem um por um. Luna segurou sua mão e Jay sorriu para a amiga. Sussurrou um “obrigada” e Luna sorriu de lado.
- Jones? – A secretária chamou Jay, que levantou de supetão e entrou na sala.
- Fuck, ela vai ser expulsa. – Luna falou com lágrimas nos olhos.
- Claro que não. É a primeira vez que ela faz algo assim – Travis falou, confortando a loira.
- Espero que esteja certo – Harry falou e Matt bateu no amigo.
- Tenha um pouco de fé, Collins – Travis falou sério. Jay saiu da sala e sentou-se novamente.
- E aí? – Matt sentou-se do seu lado.
- Me suspenderão... – falou olhando para frente.
- Shit, quanto tempo? – Luna perguntou nervosa.
- Dois meses? – Jay bufou.
- DOIS MESES? PORRA! – Luna gritou. – Você vai perder os jogos importantes.
- Eu sei! – Jay bufou novamente.
- Como vou sobreviver sem minha melhor jogadora? – Luna falou.
- Eu sei... – Jay olhou a amiga. – Como vou sobreviver sem meu futebol?
- Foda! – Luna segurou sua mão. – Mas amiga, passa rápido, você vai ver.
- É, pode ser. – Todos ficaram em silêncio, Jay se levantou e colocou as mãos na cintura. – Preciso de uma bebiba.
- Tá brincando né? – Harry, que estava encostado na parede, falou. – Você só pode tá de brincadeira!
- Não entendi! – Jay olhou para o amigo.
- Bebida te colocou nessa situação, Jay. E você quer beber! – falou sério.
- Foi um erro, Harry. Acontece com todo mundo – falou. – Ok, quem vai?
- Porra, você tá falando sério? - Harry se aproximou e Matt e Travis se entreolharam.
- Estou.
- Nossa, que decepção, Jay. Você tá parecendo qualquer uma.
- HARRY! – Luna e Travis se levantaram. – CALA A BOCA!
- Não Luna, deixa ele – Jay falou, olhando pra amiga. – Não te devo satisfações, Harry.
- Jay... – Matt tentou segurar seu braço, mas Jay continuou andando.
- E Harry... – Jay virou, ainda andando. – Fuck you!
- Mas... – Harry falou, mas foi interrompido pelos amigos.
- Você não devia ter falado essas coisas – Luna falou, indo embora.
- Não mesmo. – Matt a seguiu.
- Desculpas não vão ser suficientes. – Travis deu umas tapinhas nas costas do amigo e seguiu Matt e Luna.
- Shit. – Harry pensou antes de ir atrás dos amigos.

9. Runaway.

Luna e Travis conversavam no balcão do bar sobre coisas aleatórias, Luna ficou em silêncio por alguns segundos.
- Que foi, minha princesa? – Travis perguntou segurando sua mão carinhosamente.
- Sinto falta dela. – Bufou baixinho.
- Eu também, querida.
- Você mora com ela. – Luna falou confusa. – Vê todos os dias.
- Ela vive no quarto quanto tá em casa, Lu. – Falou revirando os olhos.
- Só fazem duas semanas, imagina se ela ficar assim os dois meses, Travis! – Luna pegou uma dose de vodca.
- Vou ter que falar com ela. – Bufou virando sua cerveja.
- Jay? – Matt sentou-se ao seu lado.
- Tem falado com ela? – Luna perguntou com os olhos cheios de esperança.
- Nops, sinto muito, Blondie. – Matt falou. – Cadê ela, não tem trabalho hoje?
- Roger deu férias a ela... – Luna bufou novamente. – Cara, como quero bater no Harry.
- Mas ele não tem culpa... não 100%. – Travis falou.
- E você acha que eu não sei? – Matt e Travis se entre olharam.
- Como vai os treinos? – Matt perguntou tomando sua cerveja.
- Uma bosta. Não é a mesma coisa sem a minha melhor amiga. – Luna pegou os pedidos dos amigos na cozinha e voltou.
- Ainda estão te dando trabalho? – Travis arqueou a sobrancelha.
- Sim, mas não conta pra ela, pelamor. – Pediu sincera.
- Eu sei! – Travis deu um pulo da cadeira quando Emily entrou no bar com Sophie.
- HEY! – Correu até a ruiva. – Como ela tá?
- Tá legal, eu acho. – Falou abraçando Travis. – Não conversamos muito esses dias.
- Fuck! – Travis bufou frustrado.
- Sinto muito, T. Queria ajudar mais. – Falou segurando sua mão.
- Não é sua culpa. – Emily sorriu e Travis voltou a conversar com os amigos.

Travis e Harry estavam trabalhando até tarde na sala do americano para terminar algumas pendências.
- Ah, vamos fazer uma pausa pra comer. – Travis largou alguns papéis e pegou seu hamburguer. Harry sorriu e fez o mesmo.
- Como você está, mate? – Harry perguntou.
- Perdido... – Falou de boca cheia. – Não fico separado assim dela desde.... sempre.
- Desculpe!
- Não é sua culpa, hm. – Travis sorriu. – Vou te contar uma coisa.
- Ok.
- Você sabe que nós quatro, bom agora cinco, somos diferentes não é? – Harry concordou com a cabeça. – Claro, temos o futebol em comum, mas tem uma coisa que deixa a gente conectados de alguma forma. – Harry apenas escutava o amigo. – Somos fugitivos, Harry. Todos nós fugimos de alguma coisa. E por isso, acredito eu formamos essa família, sabe?
- Eu sei. – Harry sorriu de lado. – O que houve?
- Bom, vou te contar. – Travis bebeu um pouco de Coca-Cola e começou a contar. – Jay, assim como eu, não foi aceita por sua família. Ela é diferente, é bissexual, jogadora de futebol e é dona de uma personalidade bastante forte. Uma belo dia ela decidiu contar pras amigas que ela também sentia atração por garotas e isso foi suficiente pra suposta melhor amiga dela espalhar pro colégio inteiro que a Jay estava apaixonada por ela. E claro que isso ia chegar aos ouvidos dos pais dela, e bom, ela se abriu com eles e foi renegada pela mãe, o pai é manipulado por ela e, bom, a irmã até tentou ficar ao seu lado, mas a mesada que recebia falou mais alto que a própria irmã. Então ela conseguiu um intercâmbio e bom... conheci a Jay... uma Jay totalmente diferente da que você conheceu meses atrás... foi duro pra ela, sabe? Confiar em mim, confiar novamente. Ela perdeu todo mundo que ela amava por que eles não aceitavam ela.
- Nossa, eu sabia que tinha sido algo desse tipo, mas nossa. – Harry suspirou. – E você?
- Eu tenho uma irmã gêmea, sabe né? – Travis sorriu de lado.
- Tracie? Lembro que você a citou.
- E Theo, meu irmão mais velho. – Travis olhava pro chão concentrado. – Ela sempre soube... e ficou do meu lado quando eu contei a meus pais, mas o que ela poderia fazer? A merda já tava no ventilador. Tentei viver naquela casa até meu limite se esgotar. Eles falavam que me aceitavam, mas pediram pra não contar a ninguém... Isso não é viver, é?
- Acho que não. – Harry segurou sua mão e Travis sorriu.
- Eu estou bem agora, de verdade. Muito graças a Jay. – Sorriu de lado. – Passamos um bom tempo só nós dois, até Matt entrar na escola em que estudávamos.
- O que houve com ele? – Travis fez uma careta. – O quê?
- Já falei que a mãe dele é daquelas peruas, não é? – Harry concordou. – Então, ela descobriu que ele andava com a gente e, bom... Ela não deixava ele em paz. Chegou a ameaçar tirar ele do futebol.
- Que vaca! – Harry falou revoltado.
- Imagine então quando ela descobriu que ele estava se apaixonando pela Jay.
- Holyshit! Ela é a razão deles nunca...
- Yep! Ele tinha medo que ela pudesse foder a Jay de algum jeito, ela tem poder e contatos. – Travis bufou. – O pai do Matt é ótimo, de verdade.
- Mas...
- Mas, quando Matt fez 18 anos, ele saiu de casa. – Travis sorriu. – Escolheu a gente e tal.
- Mas por que ele trabalha pro pai?
- Falei, o pai dele é diferente. – Travis comia algumas batatinhas. – Ele não tem contato algum com a mãe, só em jantar de família e essas coisas.
- E o irmão dele?
- Mike? Ele é legal, um pouco mauricinho. Acho que o filhinho da mamãe, sabe? – Travis riu. – Quem eu quero enganar? Ele é um idiota.
- Oh! – Harry riu. – E onde a loira se encaixa nisso?
- Engraçado, ninguém acha que ela teve problemas em casa. – Travis colocou os pés na mesa. – Bom, nossa loira é filha de uma alemã com um espanhol. Ela cresceu na Espanha, tem nome espanhol e tudo, mas olha pra ela... alemã pura essa vaca.
- Travis! – Harry gargalhou.
- Verdade! Mas então... a família dela não via nossa querida amiga como a gente vê, forte, determinada. Via como eles queriam que ela fosse! Então ela procurou a mãe e morou na Alemanha por um tempo até a mãe morrer, daí a avó dela ajudou ela a mudar de vida.
- Ela não aparenta ser o que é.
- Algum de nós é? – Travis riu. – E você?
- Bom, minha mãe é brasileira e meu pai americano. Eu morava com eles em DC até minha mãe se separar dele e irmos pro Brasil.
- E por que quis se mudar?
- Queria algo novo... pessoas novas. Nunca achei que pertencesse a algum lugar, até encontrar vocês.
- O que uma transa não faz... – Harry arregalou os olhos.
- Travis!
- Só pra descontrair. – Sorriu, ficaram uns segundos em silêncio. – Sente falta dela?
- Sim, não sei o que fazer. – Falou passando a mão no rosto. – Ela não olha na minha cara.
- Bom, imaginei, não é mesmo? Se ela tá ignorando a mim... Mas tenta falar com ela.
- Eu sei. – Travis se levantou e foi até Harry, beijando sua cabeça.
- Ela te ama, Harry. Senão ela não estaria tão magoada.
- É, eu sei. – Falou suspirando. – Vai ficar tudo bem?
- É a Jay, e ela vai se reerguer. É o que ela faz de melhor além de desenhar coisas.
- Obrigado por contar a história de vocês. – Falou sincero e Travis abriu a porta de sua sala, mas antes de sair virou para o amigo.
- Nossas histórias fizeram a gente se encontrar, Har. Ela sabe disso, Luna e Matt sabem disso, e tá na hora de você saber também. – Travis foi ao banheiro deixando Harry pensativo.

Harry e Travis estavam sentados em um banco no pátio da faculdade entrevistando alguns alunos, Travis pôde ver Luna treinando com as jogadoras na quadra, mas correu para perto quando algumas garotas começaram a gritar com sua amiga.
- O que acontece? – Falou e viu Harry correr até seu lado.
- Nada demas, T. – Luna falou chorosa.
- Sério, qual o problema de vocês? – O americano falou com raiva. – Chama a Jay, agora.
- Mas ela não tá falando comigo! – Harry falou desesperado.
- O Matt tá na sala de informática, leva ele. – Harry correu atrás do amigo.
- T, não precisa! – Luna falou.
- Precisa sim, essa merda termina agora.

Matt e Harry procuravam Jay na biblioteca; quando, finalmente, a encontraram, Jay se assustou.
- Hey... – Jay falou.
- Preciso que você venha com a gente! – Matt falou. Jay riu baixinho.
- Não vou! – Falou voltando a estudar. Matt revirou os olhos e bateu na mesa com raiva, todos olharam para Jay.
- É A LUNA! – Jay arregalou os olhos e pegou suas coisas rapidamente. Jay chegou empurrando alguns curiosos.
- Mas que merda? – Perguntou.
- Olha ela aí! Sua protegida, Luna. – Uma menina falou e Jay fechou a mão.
- Qual o problema de vocês? O que aconteceu comigo não é culpa da Luna, vocês estão malucas? – Falou. – Gente...
- Jay... – Luna falou chorando.
- Me desculpa, tá legal? – Jay segurava o choro. – Eu errei e estou pagando por isso, e não pensem que não sei que vocês também estão pagando por isso. Mas aconteceu e não tem como mudar o passado, então confiem na Luna, ela é a melhor capitã que essa merda de time teve em mil anos... Ela pode ser loira, mas é mais inteligente que todos nós aqui, incluindo os garotos. - Travis abriu a boca, mas foi interrompido. – Cala a boca, porra! Enfim... Não a decepcionem como eu fiz. E eu sei que eu decepcionei vocês, meus amigos, mas acreditem: não tem dor maior que você decepcionar a si mesmo. Isso não é o fim, eu vou voltar, melhor que antes, eu prometo.
- Jay... – Luna abraçou a amiga.
- Me desculpa, Luna! – Jay sussurrou.
- Bêbada! – Uma voz debochada se destacou naquela multidão e Jay riu.
- Hanna, cala a porra da boca! – Travis falou sério.
- Fica na tua, alien. – Hanna sorriu.
- Alien, vou matar nessa rapariga... – Harry segurou o amigo.
- To começando a achar que você só pode ser a fim de mim. – Jay falou.
- Pelo amor de Deus, não fala isso nem brincando. Preferia a morte. – Jay gargalhou.
- Não to a fim do seu showzinho hoje. – Jay deu as costas à Hanna.
- Não, deve tá a fim de uma bebidinha. – Uma das amigas de Hanna falou.
- Hm, eu não vou brigar com vocês.
- Vai lá, drunkie.
Jay fechou a mão e falou:
- Prometi a Matt que não bateria em você. – Jay virou e deu um soco em Scott. – Mas ele falou nada sobre Scott.
- A diretoria ficará sabendo disso, Jane. – Scott falou saindo dali. Jay apenas sorriu para Luna e sumiu na multidão.

Travis andava de um lado para o outro esperando Jay chegar em casa, ela foi chamada pela diretoria da faculdade. Harry estava estudando na mesa, os dois se assustaram com a porta abrindo.
- Jay! – Travis deu um forte abraço na amiga. – Não some mais.
- Me desculpa, T. – Falou sorrindo. – Estou de volta, juro.
- Thanks God! Não sou o mesmo sem você, mulher. – Travis beijou a testa da morena. – Eu amo você.
- Eu sei, também te amo, T. – Jay sorriu o abraçando novamente.
- Será que posso falar com você? – Harry falou se aproximando.
- Claro! – Jay falou e Travis foi em direção ao seu quarto. – Só vou pegar uma roupa, vou sair. – Falou indo em direção ao quarto, voltou minutos depois.
- Jay, me desculpa, de verdade. Eu não quis dizer aquilo, eu me expressei errado...
- Sei, Harry... Eu sei que você pensa assim. Por eu ser como eu sou, mas eu ficar com pessoas me faz vadia, acredito que você seja um também.
- Eu não disse isso...
- Harry, eu posso parecer idiota, mas eu não sou, ok? – Jay passou por ele indo em direção a porta. – Você deve saber da minha história.
- Sim, Travis me contou.
- Eu não... Eu nunca fui eu mesma em casa, e, quando tentei ser, as pessoas que falavam que me amavam me julgaram por ser diferente deles, doeu pra caralho, Harry. Ainda dói. Eu não preciso disso, e acredito que mereça algo melhor, por isso deixei aquela parte da minha vida no passado. Família julga você e só te enxerga do jeito que eles querem, algumas pessoas têm sorte de ter uma família aberta a aceitar, respeitar e amar aquilo que pra eles seria diferente. Eu não tive. Por isso eu preciso que meus amigos, que são minha família, não me julguem. Porque amigos não julgam, Harry.
- Eu queria apenas te ajudar.
- Você pode até ter tido essa intenção, mas suas palavras... palavras dói mais que tapa na cara, eu confiei em você, e você traiu essa confiança. – Os dois tinham lágrimas nos olhos.
- Me perdoa, Jay! – Harry falou desesperado.
- Eu vou te perdoar, Harry. Eu só preciso de um tempo, eu sei que está arrependido. E sei que me ama. – Jay sorriu de lado. – Mas eu...
- Jay... – Harry ia se aproximar, mas Jay deu um passo pra trás.
- Eu te amo, Harry. De verdade. – Jay parou por alguns segundos. – Mas eu me amo mais.
- Jay, eu...
Jay abriu a porta, mas, antes de fechá-la, falou:
- Boa noite, Harry.
Travis saiu de seu quarto e viu Harry sentado no sofá encarando a TV, ele olhou o amigo, que apenas fez sinal para que ele sentasse ao seu lado.

Jay enxugou algumas lágrimas ao chegar em frente ao quarto de Luna, tinha falado com Soph para ficar no quarto aquela noite. Luna abriu a quarto e viu sua amiga com os olhos lacrimejando.
- Trouxe porcaria! – Jay mostrou uma sacola cheia de comida e Luna sorriu, abraçando a morena. – Me desculpa. Podemos conversar?

10. Unsaid Things.

Luna abriu espaço para Jay entrar em seu apartamento e não deixou de reparar na mão da amiga.
- Isso foi o soco que você deu? - Luna pegou a mão da amiga delicadamente.
- Yep! - Jay deu de ombros. - Cara de pau, literalmente.
- Idiota! - Luna sorriu. - Ele não vai falar nada...
- Como assim? - Jay arrumava as comidas em volta das duas que estavam sentadas no chão.
- Eu falei com ele... - Luna falou comendo salgadinho.
- Puta merda... - Jay bufou. - Eu realmente to me superando nas merdas.
- Não foi sua culpa. Se começar a se culpar, vou rodar a mão na tua cara. - Luna sorriu de lado.
- Grossa... - As duas riram. - Obrigada.
- Estou aqui pra isso. E hm... obrigada por me defender, sempre.
- Sempre, bitch! - Jay segurou sua mão e ficou na sua frente. - Escuta... Vou falar uma coisa e espero que você não me interrompa.
- Ok... - A loira apenas se ajeitou.
- Nunca tive uma irmã de verdade, como você sabe, ser traída pela Jenny doeu mais do que quando minha mãe falou que sou uma aberração... - Jay fez careta. - Mas eu espero que você saiba que você é minha irmã, Lu. De verdade, e que sempre vou estar aqui pra você. Eu tenho esse meu jeito difícil de ser, mas eu amo você, blondie.
- Fuck Jay, que linda. - Luna abraçou a amiga. - Lola tem seis anos e não tenho contato com ela, então nunca tive uma irmã, e obviamente eu sinto o mesmo, amiga.
- Eu sei, você me escolheu e não existe nada melhor que isso.
- O quê?
- Que vocês ficam comigo porque querem, não porque temos sangue em comum. - Jay falou e Luna pensou um pouco.
- Isso foi intenso e esquisito. - Luna riu. - Tua cara!
- Fuck you. - Jay apenas gargalhou e Luna jogou pipoca na amiga.

- Dá pra parar de cantar ÀS SEIS HORAS DA MANHÃ, TRAVIS FUCKING MCHALE? - Um Harry descabelado apareceu na cozinha, Travis fazia seu café da manhã.
- Oi Evil Queen! - O americano apenas ria da cara do amigo.
- Por que essa alegria toda? - Harry sentou-se no balcão.
- Não posso acordar de bom humor? Que cara chato da porra. - Travis ainda ria do amigo.
- Quase não dormi ontem...
- Dor na consciência? Não sabia que tinha. - Travis brincou.
- Se foder... - Harry mumurrou.
- Não obrigado. - Travis colocou um prato na mesa. - Vai querer omelete?
- Yes! - Matt abria a porta. - Por favor, querida.
- É pra já, Ursinho. - Harry riu. - Haz...
- Ei dude! - Harry serviu leite ao amigo.
- Cadê Jay? - Matt perguntou e Travis virou rindo. - Quê? Não posso perguntar por ela?
- Sabe, um dia eu vou contar aos filhos de vocês... - Travis sentou de frente ao amigo.
- Quê?
- A demora do caralho dos pais se pegarem. - Matt bateu na testa de Travis.
- Sabe, a senhora aqui tem razão. - Harry comentou.
- Ei, dá pra parar com a palhaçada? Estamos bem assim. - Matt falou sério. - Podemos comer em paz?
- Ok. - Harry e Travis concordaram. - Mas antes... meu irmão me ligou. - Harry completou.
- O meu também. - Matt falou.
- Oh shit! - Travis disse com a boca cheia.

- Sabe eu odeio isso... - Luna mostrou seu protetor solar. - Parece que fico com a cara oleosa.
- Mas ela fica oleosa, amiga. - Jay falou. - Quem manda ser albina?!
- Haha, não sou albina. - Bufou.
- Mas fica toda vermelhinha etc, os caras amam. - Jay falou em tom de brincadeira.
- Cansada de homem! - Jay arregalou os olhos.
- Vai trocar de time? - Falou de boca aberta e Luna jogou um almofada nela.
- Você entendeu...
- Eu sei, mas não podia deixar de zoar. - Luna mostrou a língua. - Mas não precisa namorar pra se divertir.
- Como você e Emily?
- Exato! - Jay sorriu.
- Vocês nunca falaram em namoro? - Luna perguntou.
- Nops! Quer dizer, ela não curte namorar. Gosta de liberdade, ela só namora se achar que o negócio tem futuro.
- Prendada. - Luna falou.
- Idiota! - Jay gargalhou. - Pronta?
- Yes! - Falou.
- Let's go! - Luna abraçou a amiga e foram até o carro de Jay.

Os amigos estavam todos em suas salas de aula, menos Jay, que tinha aula vaga e estava estudando na praça da faculdade.
- Ei! - Matt falou sentando ao seu lado. - O que aconteceu?
- Matemática aconteceu! - Jay falou bufando e Matt riu da amiga. - Me diz se vou usar essa porra pra desenhar?
- Eu sei, JJ. - Eu posso te ajudar, sou o gênio da matemática. - Jay gargalhou. - Bem melhor que você...
- Idiota! - Jay bateu no amigo. - Ok, pode ser lá em casa? Depois da aula?
- Não vai trabalhar?
- To de fêrias... - Jay revirou os olhos.
- Ok, te vejo lá. - Matt beijou sua testa e foi pra aula, Jay sorriu.

Matt e Jay estavam estudando há algumas horas e Jay estava feliz por finalmente entender aquilo que estava estudando há semanas, ele realmente era bom.
- Uff, podemos fazer uma pausinha? - Jay falou jogando seu braços pra cima.
- Sim senhora. - Matt apenas largou o lápis na mesa e riu da cara da amiga. - Posso te pergunta uma coisa?
- Claro.
- Você tá bem? - Matt mudou sua expressão olhando a mão machucada de Jay.
Sim, ela tá bem. - Jay sorriu e Matt pegou sua mão. - Não acredita em mim?
- Jane você deu um soco no Scott.. ele é bem forte. - Matt falou ainda pegando na mão de Jay.
- Matthew, eu to bem, e ele mereceu. - Jay deu de ombros.
- Soube do que a Luna fez... - Matt falou fazendo Jay bufar. - Ela faria qualquer coisa por você.
- É, eu faria qualquer coisa por ela. - Jay sorriu. - E você? Tá bem? Soube que seu irmão ligou.
- Travis fofoqueiro da porra! - Matt fingiu irritação fazendo Jay rir. - Sim, ele queria saber como eu estava.
- Ele vai voltar dos Estados Unidos? - Jay peguntou.
- Em alguns meses.
- Isso é... hm... bom? - Jay perguntou sem jeito.
- Não sei... é dificil entender como ele ficaria do lado da minha mãe. - Matt falou com um tom de tristeza.
- Sei como é uma bosta esse sentimento, Matt. - Jay mexeu no cabelo do inglês. - Mas a vida te dá os amigos pra isso.
- É verdade. - Matt riu. - Minha mãe... Hanna... Mike... Como lidar?
- Não lidando, eu acho. - Jay riu e virou seu rosto e então percebeu o quanto estavam próximos, Jay tentou falar algo, mas a proximidade de Matt era perigosa. Eles ficaram se olhando por uns segundos, mas a atração foi mais forte e, quando finalmente seus lábios se tocaram pela primeira vez, alguém abriu a porta fazendo os dois pularem pra longe um do outro.
- Hey, Matt! - Emily falou carregando algumas sacolas. - Hey Jay!
- Hey! - Os dois falaram juntos.
- Hey, bitches! - Travis apareceu na porta cheio de sacolas.
- Fez as compras? - Jay perguntou tentando disfarçar.
- Não anjo, roubei tudo. - Travis falou e Emily riu. - Claro, a janta sai em algumas horas.
- Ok. - Jay falou levantando enquanto Matt arrumava suas coisas.
- Fica pro jantar, Matt? - Travis perguntou. - Vou fazer Yakisoba.
- Hm, guarda pra mim, vou ter que resolver uma coisa. - Falou olhando pra Jay.
- Ok. - Travis falou desconfiado. Matt se despediu e foi embora.

Jay estava no quarto olhando o teto quando Emily apareceu na porta.
- Posso falar com você? - Perguntou.
- Claro! - Jay sentou-se na cama e Emily fechou a porta antes de se sentar de frente pra Jay.
- Você ainda gosta dele, né? - Jay gelou por um momento. - Matt...
- É complicado... - Jay falou séria.
- Bom, você sabe que eu não me prendo a ninguém, mas Jay, eu preciso saber se isso - Emily apontou pra ela e Jay. - Vai dar em algum lugar, quando for a hora certa.
- E o que tem a ver?
- Não posso considerar um compromisso se você é apaixonada por outra pessoa, Jay. - Emily falou e Jay fechou os olhos por uns segundos. - E se eu me apaixonar por você?!
- Shit.
- Eu gosto de você, Jay. Muito, mas preciso pensar em mim também.
- Eu entendo. - Emily se aproximou de Jay e beijou sua testa.
- Posso te dar um conselho? - Jay apenas acenou.
- Fala com ele, talvez ele sinta o mesmo, e se ele não sentir, pelo menos você vai ver que é a hora de seguir em frente. - Emily abraçou Jay. - E se não for tarde demais, eu vou estar aqui.
- Obrigada. - Jay sorriu e beijou Emily antes da ruiva sair do quarto.

Jay se mexia na cama, pensando no dia que teve. Matt e Emily são saíam de seus pensamentos. Olhou o relógio e eram três horas da manhã, murmurou um "fuck it", pegou sua bolsa e seu casaco e saiu de casa. Chegou no apartamento de Matt, respirou antes de bater por alguns minutos. Matt acordou assustado e foi sonolento até a porta, abriu a porta e ficou sem reação ao ver Jay parada em sua porta.
- Posso falar com você? - Jay falou nervosa.
- Claro. - Matt deu passagem e Jay entrou. - Aconteceu alguma coisa?
- Não, não. - Jay falou. - Vou falar uma coisa, mas me promete que você não vai interromper?
- Ok. - Matt encostou na parede perto da porta.
- Você me conhece, e sabe que não sou uma pessoa nervosa, sou irritada, mas nervosa nunca. Eu tenho minhas atitudes, mas com você é diferente. Certo? - Jay perguntou mais pra si mesma do que pro inglês. - Eu amo você.
- Eu sei. - Matt falou. - Eu amo você também.
- Não, Matt! - Jay se aproximou. - Não do jeito que eu amo o Travis, ou até mesmo o Harry.
- Jay...
- Cala a boca! - Jay falou. - Eu sou apaixonada por você, Matt. E recentemente alguém me falou uma coisa que faz sentindo. Eu preciso resolver isso, pra poder seguir em frente. Desculpa qualquer coisa, vim aqui a essa hora... - Jay abriu a porta, mas Matt segurou seu braço a impedindo de sair.
- Jay... - Matt não conseguia falar nada, Jay sorriu e para surpresa do garoto, Jay o encostou seus lábios aos dele, Matt não conseguiu reagir a nada do que tinha acontecido só foi se dar conta do que aconteceu quando Jay já estava longe, Matt sentou no chão encostando sua cabeça na parede.
- Holy shit. - Suspirou.

11. I Knew You Were Trouble.

Harry e Travis estavam tomando seu café da manhã como de costume, se entreolharam quando Jay pegou suas chaves no balcão e saiu batendo a porta.
- Alguém acordou atravessada hoje? - Harry perguntou.
- Vou descobrir o que houve. - Travis falou dando de ombros.
- Ok fofoqueiro. - O americano mostrou o dedo do meio, fazendo o amigo rir. - Vamos?
- Matt deu notícias? - Travis perguntou arrumando a cozinha rapidamente.
- Nops. - Harry falou abrindo a porta.
- Ótimo! - Revirou os olhos e Harry riu.

Travis, Harry e Matt chegavam no prédio em que estudavam e avistaram Luna correndo em sua direção.
- Hi boys! - Luna sorria. - Vocês viram minha parceira?
- Não! - Matt falou rápido e Travis o olhou. - Não vi não.
- Ela saiu apressada, Lu. - Harry falou. - Te acompanho até a sala, talvez ela esteja lá.
Quando Matt fez menção de seguir os amigos, Travis segurou seu braço.
- Vocês brigaram? - Perguntou sério.
- Claro que não. - Travis o olhos desconfiável e Matt sorriu de lado. - Tá tudo bem, Travs. Vejo você no treino.
Travis apenas balançou a cabelça.
- E aí? - Harry perguntou.
- Preciso achar a Jay. - Travis bateu no ombro do amigo e foram pra aula.
O americano passou a aula inteira mandando mensagens para Jay, mas a única resposta que teve foi um breve "fazendo prova", o que o deixou irritado.
Travis estava em seu escritório trabalhando quando Tom apareceu com o almoço.
- Hey! - Travis falou enquanto Tom fechava a porta. - Viu a Jay por aí?
- Nops. - Tom falou e lhe entregou seu almoço. - Aconteceu alguma coisa?
- Não sei, é o que quero saber. - Falou. - Matt tava estranho? No treino etc.
- Acho que não, Travs. Tá achando que eles brigaram? - Travis deu de ombros. Os dois ficaram conversando depois de comerem até Tom ter que voltar ao trabalho.
- Obrigado pelo almoço, Tom. - Travis sorriu e começou a abrir a porta. Mas Tom o interrompeu, a fechando novamente. O britânico beijou Travis rapidamente e sorriu.
- Foi um prazer, mate. - Travis fechou a porta quando Tom saiu.
- Ok...

Luna estava atendendo alguns pedidos no balcão da lanchonete, mas estava intrigada com Matt a olhando o tempo inteiro. Entregou os pedidos na cozinha e sentou em frente ao amigo.
- Ok, ou você tá muito a fim de mim ou tem algo a dizer. Espero que seja a segunda. – A loira falou rápido assustando Matt.
- Shiu. – Matt riu do desespero da amiga. – Jay foi até meu apartamento ontem...
- Ok..
- Às três da manhã... – Matt continuou. – Ela me contou uma coisa que até agora eu não sei o que fazer.
- Ok... O que ela falou?
- O que você acha? – Luna deu de ombros. – Ela falou que é apaixonada por mim e que pra seguir em frente ela precisava dar um ponto final nessa história.
- SHIT! – Luna falou alto e todos a olhavam, mas Luna estava ocupada demais pra se importar. – E você fez o quê?
- Nada! – Matt bateu na mesa. – Eu só fiquei parado...
- Porra! – Luna bateu na testa do amigo.
- E tem mais...
- Ai não! – Luna colocou as mãos em seu rosto.
- Ela meio que me beijou... – Matt falou e Luna riu. – Quê?
- Aff, vocês parecem que ainda estão no colegial, puta merda. – Luna falou rindo. – E o que vai fazer agora?
- Não sei, blondie. Me ajuda! – Luna segurou sua mão.
- Ok. – Luna pensou um pouco antes de falar. – Vou pergunta uma coisa.
- O quê?
- Você quer que ela siga em frente? Coloquei um ponto na história de vocês? – Matt sentiu enjoo com a pergunta da amiga. – Porque eu sei que você também é apaixonado por ela.
- Não... – Matt falou baixinho, mas a loira ouviu.
- Não o quê?
- Não quero que ela siga em frente, Luna. – Luna sorriu de leve.
- E o que você quer, sweetheart? – Luna o olhou com carinho.
- Eu quero ela. – Matt finalmente olhou pra Luna que sorria de lado. – Sempre quis.
- E o que você quer fazer sobre isso?
- Não me apressa, Luna.
- Ei, não vem com esse papo... faz uns cinco anos essa chatice sem fim. Me poupe! – Luna levantou. – Tenho que trabalhar, hoje é dia de jogo e essa porcaria lota... Você pensa direitinho, Mattie. Por que dessa vez pode ser tarde demais.
- Obrigado! – Luna beijou sua testa e Matt sorriu.

Travis chegou em casa, jogando sua chave no balcão, e foi logo tirar uma lasanha que tinha preparado de manhã para o jantar. Percebeu que tinha alguém casa e foi atrás do barulho.
- Ei princesa. – Falou ao ver Jay saindo do banheiro.
- Ei! – A morena entrou em seu quarto sendo seguida por Travis que se jogou em sua cama.
- Vai me contar o que houve? – Travis jogou uma almofada na amiga.
- Emily deu um tempo... – Jay o olhou e fez careta.
- O que houve?
- Nada demais. Ela só sacou algo entre mim e Matt, e achou melhor eu cuidar disso antes de querer um relacionamento sério etc.
- Não posso culpá-la, né amor. – Travis sentou na cama. – E aí?
- E aí que fui falar com o Matt ontem... às três da manhã. – Jay colocou um blusão do Miami Heat com uma legging preta e sentou ao lado do amigo para colocar seu coturno.
- SHIT! – Travis a olhou arregalando os olhos. – E?
- E falei aquilo que você já sabe, que sou apaixonada por ele e blá blá blá.
- CARALHO! – Travis levantou. – E ele?
- Bom, eu beijei ele e fui embora dali.
- VOCÊ BEIJOU ELE? – Travis dava pulinhos de nervoso.
- E eu achei que o Tom me beijar era motivo de...
- PERA, O TOM TE BEIJOU? – Agora Jay estava pulando. – BEIJOU? ONDE? PUTA QUE PARIU!
- Ele me levou almoço hoje, no escritório...
- Parece que cresceram bolas no menino Thomas...
- JAY!
- Que é, vocês estavam chegando no meu nível de “demora pra tomar atitude”...
- Bom, e o que você vai fazer?
- Esperar até amanhã, se nada acontecer, eu vou seguir em frente.- Jay falou e Travis pegou sua mão. – E você?
- Não sei. – Travis pegou seu celular e o viu marcar sete horas. – Devo chamá-lo pra comer algo no bar?
- Sim! – Jay sorriu. – Mas eu só vou pra lá depois de comer a lasanha, sorry.
- Ok, vou me trocar rapidinho. – Travis falou correndo até seu quarto.

O bar estava lotado todos estavam animados com o jogo entre Liverpool contra o Manchester City, Luna não conseguia parar nem um instante. A garota que Roger contratou para cobrir Jay não era de muita ajuda. Travis chegou e passou pela amiga e beijou sua bochecha. Tom, que era torcedor do Chelsea, como Travis, se juntou a Travis e logo os dois comeram a falar sobre o time.

Harry chegou em casa e Jay estava sentada no balcão comendo seu jantar.
- Ei! – Harry falou rapidamente enquanto estava em seu celular. – Mas que merda, amanhã eu ligo pra você. Nossa, que cara chato.
- Tá tudo bem? – Jay perguntou quando Harry desligou o celular.
- Você se importa? – Harry perguntou bebendo aguá.
- Estou com raiva de você, mas não quero que você morra por exemplo.
- Obrigado?! – Os dois riram.
- Travis deixou lasanha pra gente jantar. - Jay falou.
- Vou ter que ir no escritório terminar uma redação, mas levarei um pouco. – Harry sorriu.

Jay tinha terminado de jantar e estava lavando os pratos quando alguém bateu na porta, enxugou suas mãos em um toalha e foi em direção a porta. Se assustou ao ver quem estava lá.
- Matt! – Jay arregalou os olhos.
- Posso entrar? – Jay apenas balançou a cabeça. – Matt... olha...
- Cala a boca! – Matt falou segurando o rosto de Jay a beijando, no começo a garota se assustou, mas logo retribuiu o beijo na mesma intensidade. Matt partiu o beijo e juntou suas testas. – Caso você não tenha percebido, eu sou apaixonado por você.
- Ótimo! – Jay falou mordendo o lábio inferior.
Puxou Matt pra perto o beijando, o britânico a segurou pelo quadril e Jay sorriu o abraçando com suas pernas, Matt a carregou até seu quarto, sentou na cama com Jay em seu colo. A olhou antes da morena tirar seu casaco e camiseta, beijou seus ombros nus. Quando Matt tentou tirar seu camisão, achou graça quando seu cabelo ficou preso na roupa, Jay puxou seu cabelo de leve o beijando novamente.

Tom e Travis tomavam suas cervejas quando a novata que ele não se importavam em saber o nome chegou com seus pedidos, Tarvis apenas sorriu pra ela, que piscou esquisita, mas ele estava animado demais se preocupar.

Matt beijava a barriga de Jay até seu pescoço lentamente, ela apenas mexia em seu cabelo, mas não demorou até se beijarem novamente.

O jogo estava quase no fim quando Travis começou a suar frio e se sentir desconfortável. Tom o perguntou o que houve, mas ele o tranquilizou e o britânico voltou sua atenção ao jogo.

Jay e Matt estavam ofegantes, mas não conseguiam se soltar, Jay empurrou Matt, ficando por cima do inglês que riu quando Jay beijou sua tatuagem da série Sons of Anarchy que tinha no braço direito e fez careta com a do Arsenal em seu peito esquerdo.

Travis estava passando mal. Não sabia exatamente o que fazer quando tentou levantar para ir ao banheiro. O americano ficou tonto, caindo no chão.

12. Better than Revenge.

Luna, Harry, Tom e Roger corriam atrás da maca onde Travis estava sendo levado à emergência. O médico de plantão avisou calmamente que iria cuidar do amigo deles, mas que eles não podiam passar dali. Luna era consolada por Harry, enquanto o brasileiro tentava ligar para Matt.

Jay estava deitada com suas costas nuas, Matt fazia carinho por ali enquanto a morena ainda dormia tranquilamente. Ouviu seu celular vibrar na cabeceira da cama e resmungou ao ver que era Harry. “Empata foda”, pensou, rindo. Levantou lentamente e foi até a sala.
- Espero que seja importante. – Matt falou quase sussurrando.
- É o Travis, Matt. Ele passou mal e estamos no hospital. – Matt olhou o relógio na parede da cozinha, eram aproximadamente três da manhã. – Luna, Tom e Roger estão comigo. Você poderia encontrar a Jay?
- Claro! Mas o que houve? – Matt viu Jay sair do quarto usando sua camiseta, e não consigo segurar o sorriso.
- Ainda não sabemos, os médicos ainda estão com ele. – Harry falou.
- Ok, vou achar a Jay e vamos pra aí, ok? – Jay arqueou a sobrancelha enquanto os garotos se despediam.
- O que houve? – Matt se aproximou segurando suas mãos.
- Travis precisou ser socorrido, Jay. – A garota mudou sua expressão na hora. – Calma, ok?
- Como posso ficar calma? – Jay correu para o quarto colocando uma legging qualquer e, enquanto colocava seu cortuno, viu Matt entrando no quarto e colocando suas roupas. Matt percebeu que ela estava com os olhos marejados e se aproximou.
- Ei, é o Travis! Sabe o quanto ele é forte, não deve ser nada. – Jay sorriu sem humor e o abraçou. – Vem, vou te levar pra ver esse prego.
- Ei! – Os dois riram indo em direção à porta.

Luna estava com a cabeça encostada no ombro de Tom enquanto Harry tentava saber alguma notícia do amigo. Roger chegou com café para todos, Luna negou.
- Ei Lu, você tem que tomar, ok? Vai deixar você melhor. – Harry falou beijando sua testa.
- O que eles falaram? – Luna perguntou tomando café.
- Que só dão notícias ao contato dele.
- Jay? – Tom perguntou.
- Jay! – Harry concordou. – Matt mandou mensagem, ele já pegou ela em casa.
Dez minutos se passaram e Jay entrou que nem uma bala indo direto na recepção.
- Olá, posso ajudar?
- Sim, quero ver o Travis McHale.
- Você é...?
- Jane Jones. – Jay falou impaciente e viu seus amigos se aproximando.
- Doctor Lincoln ainda está realizando alguns exames. Mas ele fala com você em alguns minutos, senhorita Jones.
- Obrigada! – Jay sorriu de leve e abraçou Luna que estava ao seu lado. Jay foi até Tom e o empurrou na parede.
- O que houve? – Harry e Matt a seguravam.
- Não é culpa dele. Foi do nada! – Harry falou. Jay apenas fechou a cara e sentou ao lado da amiga.

Luna dormia no ombro de Harry, Tom estava sentado no chão com a cabeça entre os joelhos e Roger tinha ido ao bar para ajudar a fechá-lo. Matt sentou ao lado de Jay entregando um café e um bolinho.
- Come, por favor. – Jay concordou com a cabeça. Jay viu o médico se aproximar e levantou rapidamente, acordando Luna e Tom.
- E aí, Doctor? – Matt perguntou.
- Bom, fizemos alguns exames e estamos suspeitando de intoxicação alimentar. Mas vamos ter certeza em algumas horas.
- Como assim? Ele sempre come no Roger! – Jay falou desesperada.
- Iremos descobrir o que aconteceu com seu irmão, Sra. Jones. – O médico falou. – Ele já está no quarto. A enfermeira irá levá-los.
- Irmão? – Hary arqueou a sobrancelha.
- Longa história. – Matt riu batendo no peito do amigo.
Chegaram no quarto e Travis dormia tranquilo. Tom se despediu e falou que voltava pela manhã. Jay e Luna ficaram deitadas no sofá enquanto Matt e Harry ficaram nas cadeiras na lateral da cama.
- Ei... Matt... – Travis tentava falar, mas o sedativo o deixava sonolento. – Matt...
- Hmm... – O britânico mexia pouco.
- MATT PORRA! – Travis falou alto. – Ai meu estômago!
- Ei! – Os amigos falaram em juntos.
- Água? – Travis falou.
- Vou pegar! – Luna falou saindo do quarto, Jay se aproximou do amigo.
- Ei idiota, você assustou a gente. – Jay falou beijando a testa de Travis.
- Sorry. – Luna deu agua ao amigo. – Obrigada, loira. E o que aconteceu?
- O médico falou que você tá com suspeita de intoxicação alimentar.
- Impossível! – Travis falou tentando se sentar, mas foi impedido por Luna.
- Ele falou que terá algo mais concreto mais tarde. – Harry falou tranquilizando o amigo.
- E você? Por que ainda tá aqui? Você tem aquela reunião! Não quer jogar futebol mais? – Travis falou.
- Shit, é mesmo! – Jay bateu na testa. – Mas não posso te deixar sozinho.
- Oi? – Matt, Luna e Harry falaram juntos. – Eu e Harry podemos ficar, Luna vai com você.
- Sim! – Luna bateu palmas.
- Ok, mas antes vou em casa, preciso tomar banho. – Jay olhou pra Matt, que sorriu disfarçadamente.
- Pronto, te encontro no estacionamento da faculdade. – Luna abraçou a amiga. Jay beijou Travis novamente e saiu do quarto. Foi surpreendida por Matt antes de sair do corredor.
- Ei! – Matt segurou seu braço a puxando pra si. – Você tá bem?
- Sim! – Jay falou segurando sua mão. – Cuida dele pra mim?!
- Sempre! – Matt sorriu de lado e beijou Jay rapidamente. – Me liga.
- Ok. – Jay se afastou, mas antes de virar pelo corredor mandou beijo no ar pro britânico.

Jay estava saindo do seu carro no estacionamento de seu prédio quando sentiu dois braços forte puxarem seus braços por trás e tampando sua boca e nariz com o pano branco, não demorou muito pra a garota desmaiar.

Luna levantou da cadeira avisando que iria se encontrar com Jay, Harry levantou junto para comer alguma coisa deixando Travis e Matt sozinhos.
- E então? Tem algo pra me contar? – Travis sorriu de lado.
- Não?! – Matt falou mexendo no celular.
- Aff, quando vocês vão aprender que não podem me enganar? – Travis revirou os olhos.
- Do que você tá falando, homem? – Matt o olhou.
- Você e Jay... desfrutando um ou outro... finalmente. – Matt tentou falar algo. – SABIA!
- Aquela olhada de vocês... sobre ela tomar banho... – Travis gargalhava.
- Cala a boca, anta. – Matt sentou perto do amigo. – Não fala pra ninguém ainda.
- Ok. Mas me conta!
- Oi? – Matt fez careta.
- Sem os detalhes, é claro.
- Ah! Foi... diferente. – Matt deu de ombros.
- Vocês são o casal mais esquisitamente lindo que eu conheço. – Travis segurou sua mão. – Eu podia dá parabéns, mas vocês fizeram mais que obrigação.
- Idiota! – Matt falou rindo.

Harry e Matt conversavam animadamente fora do quarto enquanto Travis dormia, Tom chegou com algumas besteiras para eles comerem, e entrou para ficar um pouco com Travis. Os garotos comiam quando Luna chegou com a cara preocupada.
- Ei, a Jay voltou pra cá? – Perguntou sentando ao lado de Harry.
- Não, por quê? – Matt perguntou.
- Ela não apareceu na reunião e não consigo falar com ela. – Matt arregalou os olhos.
- Como é? – Matt pegou seu celular para ligar pra Jay. – Harry, vai até o apartamento, vou tentar ligar pra ela e Luna liga pro Roger, agora!
Os amigos procuravam Jay por todo lugar, ligavam para os amigos, incluindo Emily, Sophie e algumas jogadoras do time, mas ninguém sabia onde ela estava. Harry viu o carro de Jay estacionado e subiu, mas ela não estava lá. Decidiu voltar para hospital quando alguém o parou na rua.

Matt estava desesperado quando Harry chegou com Scott ao seu lado.
- Scott? Harry? – Luna perguntou sem entender.
- Você vão querer ouvir isso... – Harry olhou para Scott.
- Jay foi sequestrada, Hanna contratou dois caras pra pegar ela desprevenida.
- O quê? – Luna sentiu seus joelhos fraquejarem e caiu no chão, Harry a abraçou e viu Matt fechar os olhos e socar Scott que caiu no chão.

13. A Sky Full of Stars.

- Ei! Ei! - Harry segurava Matt. - Ele não sabia!
- Matt! - Luna ajudava Scott a se recompor. - O que mais você sabe?
- Só isso. Eu juro! - Scott falou sincero. Matt se soltou do amigo e socou a parede.
- Liga pro Jimmy, agora! - Matt entregou seu celular a Luna.
- Jimmy? - Harry perguntou.
- Jimmy é o primo do Matt. Ele é policial. - Harry apenas olhou o amigo saindo do prédio.
- Jesus, viu... - Harry sentou ao lado de Luna. - Tudo acontecendo de uma vez.
- Nem me fala. - Luna falava com Jimmy enquanto Scott era atendido por uma enfermeira.

Matt estava sentado na escadaria do hospital quando Jimmy apareceu, ajeitou suas calças antes de subir, fazendo Matt sorrir sem humor.
- E aí primo, tá mais calmo? - Matt revirou os olhos.
- Luna contou? - Jimmy concordou com a cabeça. - Shit.
- Vamos encontra-lá. - Os primos se abraçaram. - Já mandei uma foto dela pra todas a viaturas.
- Obrigado, de verdade. - Matt falou.
- Você é família, Matt. - Os dois sorriram. - Ei, preciso falar com o tal do Scott, pegar seu depoimento.
- Te levo lá. - Os dois se dirigiram à porta do hospital.
- E Travis?
- Tá descansando. Ainda estão tentando descobrir o que houve. - Matt deu de ombros.
- Jesus, você tem que benzer seus amigos. - Matt riu.
- Scott, o Jimmy quer seu depoimento. - Matt falou frio.
- Ok. - Scott acompanhou Jimmy.
- Alguma notícia das meninas? - Matt perguntou sentando ao lado dos amigos.
- Não, mas a Soph tá de plantão. - Luna encostou a cabeça no ombro do Harry.
- O que será que aquela louca tá fazendo com minha amiga? - Luna fechou os olhos e os dois a abraçaram.
- Vamos achar a Jay, Blondie. - Harry disse beijando sua cabeça.

Jay tentava abrir os olhos, mas sua cabeça estava dolorida demais. Quando finalmente conseguiu, viu que estava amarrada à uma cadeira, tentou soltar seus braços, mas sem sucesso bufou de raiva.
- Finalmente! - Hanna apareceu e segurou de Jay. - Oi, sua desgraçada.
- O que porra aconteceu com você? - Jay falava com dificuldade. - Pirou de vez?
- CALA A PORRA DA BOCA! - Hanna apertava o pescoço de Jay. - Caladinha.
- O que você quer? - Jay perguntou quase perdendo a consciência, fazendo Hanna soltar seu pescoço, mas a garota ainda segurava seu queixo.
- Quero o que é meu! - Jay riu fazendo Hanna arregalar os olhos.
- Ele nunca foi seu, idiota. - Hanna bateu no rosto de Jay. - Pode me bater à vontade, a verdade será a mesma, querida.
- Sua vadia! - Hanna gritava e Jay continuava a sorrir.
- Como é ser tão obcecada por uma pessoa que tá pouco de fudendo pra você?
- CALA A BOCA! - Hanna socou Jay que, apesar da dor e do gosto de sangue, olhou para Hanna.
- Não é minha culpa. - Hanna a olhou. - Não é minha culpa que ele não ama você.
- Claro que é. Você atrapalhou tudo. - Jay arqueou a sobrancelha.
- Eu sempre estive ali, Hanna. Eu não apareci do nada. Eu não fiz nada. - Hanna ficou em silêncio, de costas para Jay, que, por sua vez, tentava se soltar.

- Meninos, seu amigo acordou. - Os três levantaram rápido e correram pro quarto. Travis sorriu ao ver os amigos.
- E aí, pessoal?! - Luna correu e abraçou o amigo, que fez careta.
- Te amo, mas eu to dolorido, querida. - Luna riu e beijou a testa do amigo.
- Você assustou a gente, cara. - Matt sentou ao seu lado na cama.
- Cadê a Jay? - os amigos se entreolharam. - Gente?
- Ok, promete ficar calmo? - Luna falou.
- Fala logo porra! - com dificuldade Travis sentou na cama.
- A Jay foi sequestrada... - Harry falou rápido.
- Pela Hanna. - Matt completou.
- WHAT THE FUCK? - Travis gritou assustando os amigos. - Cês tão me zoando? Porque não tem graça.
- Queria eu que fosse brincadeira. - Luna bufou.
- Mas que merda, gente. Eu não posso passar mal UMA VEZ! UMA VEZ! Que tudo vira merda? - Travis começou a chorar assustando os amigos. - Fodeu! - ele bufou. - Que tipo de remédio me deram?!
- Travis? - Luna perguntou enquanto Travis chorava.
- Acho bom você achar a Jay, Matt! - Travis falou sério.
- Eu sei. - Matt baixou a cabeça.
- Eu sei que não é sua culpa, mas me deixe culpar alguém além da louca da Hanna. - Matt riu e os amigos o acompanharam.
- Nada dos médicos? – Luna perguntou segurando sua mão.
- Nops, eles estão esperando os resultados. – Travis deu de ombros. Os amigos ficaram conversando um pouco, mas nenhum deixava de pensar em Jay.

- Você não faz ideia do que eu faço pelo Matt. – Jay a olhou. – E o que você fez?
- Você é pior do que pensei. – Hanna segurou seu pescoço novamente.
- E você é diferente? – Hanna soltou Jay. – Com esse seu jeito descolado acha que é melhor que todo mundo, não é?
- Eu não me acho melhor que ninguém. Sou bem bosta se você pensar direito. – Jay deu de ombros. – Mas você consegue ser pior!
- E o seu amiguinho... o Travis tá bem? – Jay fechou a cara assim que ela falou o nome do amigo, Hanna deu um risinho e tudo fazia sentido naquele momento.
- O QUE VOCÊ FEZ COM ELE SUA LOUCA? – Jay se debatia na cadeira tentando se soltar, percebeu que seu pulsos estavam mais avontade.
- Eu precisava de você sozinha... tive que me livrar do seu segurança. – Jay não podia acreditar no que estava ouvindo.
- Ele podia ter morrido, Hanna. – Jay gritou mais uma vez.
- Ah, relaxa Jones! Seu amigo tá bem!
- Eu vou matar você, Hanna! – A garota gargalhou, fazendo Jay ficar com mais raiva. – Você pode mexer comigo, mas não com meus amigos, sua vadia!
- Sempre defendendo os amigos, acima de tudo, patética. – Hanna sentou em frente à Jay. – O que o Mattie viu em você, sua estranha!?
- E você me chama de patética. – Jay deu uma risadinha, e Hanna revirou os olhos, Jay soltou uma de suas mãos e socou Hanna que caiu no chão assustada. – Tão patética que não viu eu me soltar.
- Sua idiota! – Jay soltou seu outro braço, e enquanto tentava soltar suas pernas, Hanna a empurrou, fazendo com que a cadeira caísse no chão. A mesma quebrou, soltando Jay, mas a americana não contava com sua costela batendo na madeira.
- Shit! – Hanna chutou Jay onde ela sentia dor, e a morena gritou de dor.
- Quando você vai aprender que você não é nada, Jay. Desiste! – Jay levantou com dificuldade.
- Oh, eu sou alguém. – Jay sorriu debochada. – Sou alguém pro cara que você ama.
- AAAAAAAHH! – Hanna partiu pra cima de Jay que a segurou pelos pulsos. – ME SOLTA!
- LEGAL ALGUÉM PRENDER VOCÊ, NÃO É? – Jay estava com raiva e a derrubou no chão. Jay deu um soco em Hanna. – Isso é pelo Travis, sua desgraçada. – Mais um. – Isso é por ter me sequestrado! – E mais um. – E esse é por ter estragado minha camiseta preferida. – Jay levantou e cuspiu em uma Hanna ensanguentada.
- VOCÊ ME PAGA, JAY! – Jay apenas mostrou o dedo do meio enquanto caminhava lentamente para fora daquele lugar.
Jay não sabia onde estava, parecia que estava em modo robô apenas andava, começou a reconhecer as ruas e percebeu que devia estar toda destruída, mas a vontade de ver seus amigos era maior, viu a entrada do hospital e caminhou até lá.
- Jay? – Jimmy, que estava sentado, saiu correndo chegando a tempo de segurar a morena antes de ela cair no chão.
- Ei Jim, eu andei pra caralho. – Jay falou meio desacordada e Jimmy a carregou e andou o mais rápido possível. – ALGUÉM PODE ME AJUDAR?
Um grande barulho se formou no hospital e os amigos se entreolharam, Luna, Harry e Matt correram e viram uma grande movimentação. Jimmy olhou para o primo e sorriu fraco, Matt arregalou os olhos. – Jay?!
- WHAT? – Luna e Harry falaram juntos e correram atrás do amigo. Jay estava sentada em uma cadeira de rodas, ainda acordada viu seus amigos.
- Ei guys. – Jay falou, sorrindo, mas sua expressão era de cansaço. Matt segurou seu rosto com suas mãos. – Ei!
- Você tá bém? – Jay assentiu com a cabeça. – Me desculpa!
- Não é sua culpa. Eu estou bem. – Jay falou beijando sua mão. – E Travis?
- Ele tá bem, amiga. – Luna falou.
- Sei que você deve está exausta, Jay. Mas Hanna ainda está por aí. – Jimmy falou sério. – Preciso saber onde ela está.
- Eu não me lembro muito bem, estava escuro. – Jay falou calmamente.
- Eu preciso atendê-la, senhores. – O medico que estava cuidando de Travis falou levando Jay. – Você pode vir, Policial.
Jimmy concordou e piscou para o primo, que abraçou Luna.

Jay estava sentada em uma maca enquanto o médico cuidava de seu rosto, tinha alguns arranhões e alguns machucados, ela tentava ao máximo ajudar Jimmy, mas lembrava pouco sobre o local, mas sabia bastante da briga, fazendo Jimmy rir.
- Aqui dói, Sra. Jones? – O médico examinava a barriga de Jay quando Matt entrou na sala.
- AI! – Jay arregalou os olhos. – E meu nome é Jay!
- Ei! Jimmy me chamou. – Jay sorriu. – E aí, Doctor?
- Tirando a costela fraturada e alguns machucados, ela está bem, Matt. – Ele sorriu pra Matt, que parecia mais aliviado. – Vou pedir pra enfermeira aplicar um remédio pra dor, ok?
- Obrigada. – Jay sorriu, Matt olhava o nada. – Ei!
- Ei! – Jay puxou Matt para um abraço. – Eu estou bem, ok? Agora me leva pra ver o Travs.

Jay correu pra abraçar o amigo, sentiu a dor da costela fraturada, mas não ligou. Travis ria.
- Você tá bem, amiga? – Travis perguntou preocupado.
- Sim, estou bem. – Falou beijando a mão do amigo. – E você?
- Ainda dolorido, mas to bem. – Sorriu. – Cadê o Matt?
- Foi pegar algo pra eu comer. – Jay sentou ao lado de Travis.
- E como foi a noitada? – Travis falou.
- Ele te contou? – Ela abriu a boca surpresa.
- Você acha que tá falando com quem, idiota? – Travis deu de ombros.
- Desculpa...
- Então... – Quando Jay abriu a boca, uma enfermeira entrou. – Ah não!
- Travis, tá na hora do remédio. – Jay fez careta. -
Eu machuquei minha perna quando caí etc. – Revirou os olhos e Jay gargalhou.
Luna, Harry e Matt entraram em seguida.
- Aqui, come tudo! – Jay sentou na ponta da cama e começou a comer. Luna fez careta quando viu que a amiga ainda usava as mesmas roupas.
- Ok, vou no apartamento pegar algumas roupas pra você. – Jay concordou de boca cheia e Luna riu. – Bom te ter de volta, morena.
- Não me chama assim, blondie. – Luna revirou os olhos.
- Eu vou com você! – Harry falou e Luna jogou seu braço no ombro do amigo.
- Já voltamos, queridos! – Luna soltou alguns beijinhos que Travis pegou no ar.
- Egoísta da porra! – Jay falou de boca cheia.
- Morta de fome! – Os dois mostraram a língua.
- Como alguém pode fazer isso com você, Jay? – Matt falou sério.
- Ela é louca, Matt. – Jay falou.
- Isso é verdade, mate. – Travis concordou.

- Ai, é tão bom ver todo mundo junto. – Luna batia palmas e Harry ria.
- É, pensei que tinha que acontecer algo pra minha briga com Jay ficar no passado, mas nunca pensei nisso. – Harry abriu a porta do carro pra loira.
- Nem eu, cara. – Luna ficou pensativa enquanto Harry entrava no carro. – Quem machucaria a Jay?
- É, tem louco pra tudo. – Harry sorriu, mas no fundo se sentiu louco por ter machucado Jay. – Mas ela está bem.
- E isso que importa. – Luna sorriu e segurou sua mão.
- Vamos ficar bem, você vai ver. – Harry a olhou. – Não fizemos essas tatuagens de graça.
- Não mesmo. – Harry viu a tatuagem de cinco estrelas no pulso de Luna e lembrou do dia em que todos ficaram bêbados e resolveram fazer tatuagens, e todos fizeram uma tatuagem de cinco estrelas, a de Luna e Jay eram no pulso esquerdo, a de Travis atrás da orelha, e a sua e de Matt eram no peito, a de Matt perto de sua tatuagem do Arsenal e a sua perto da tatuagem do Real Madrid.
- Aquele dia foi louco. – Harry riu beijando a mão da amiga enquanto esperava o carro da frente sair para poder pagar o estacionamento. Ficaram em silêncio enquanto Harry pagava a mulher, quando estava quase saindo de lá Luna confessou:
- Sabe eu não ia muito com sua cara, mas eu te amo Harry. – Luna sorriu, mas quando Harry pensou em responder, tudo ficou escuro.

- Ela estar obcecada por você, Matt. – Jay falou.
- Óbvio, olha o que ela fez com você. – Travis disse preocupado.
- Você devia ver como ela ficou. – Jay deu de ombros, ficaram calados até que ela teve um flash e arregalou os olhos. – Fuck!
- Que foi? – Matt levantou e foi até ela.
- Ela fez isso com o Travis, ela fez isso com você. – Jay estava em pé, surtando.
- Como assim? – Matt segurou suas mãos.
- Ela me falou que precisava se livrar do meu segurança. – Jay parou e olhou pros amigos. – Ela falou e que eu iria pagar.
Os três se entre olharam e falaram juntos: - LUNA E HARRY!
- Fica aqui! – Matt falou em vão, pois, mesmo machucada, Jay correu até o estacionamento, viram uma movimentação grande e foram até lá, Jay avistou o carro de Harry destruído em sua frente.
- NÃO NÃO NÃO NÃO! – Jay gritava. Seus amigos estavam inconscientes em cima das macas. – HAAAAAAAARRY, LUNAAAAA! – Ela gritava e, quando pensou em se aproximar, Matt a segurou por trás, impedindo-a. – Não... NÃÃÃÃÃÃÃO! – Jay caiu no chão e Matt a abraçou e fechou os olhos.

14. If I Die Young.

- Tudo tá uma merda. – Matt falava enquanto mexia a perna freneticamente. – Não consigo parar de pensar naquele dia.
- Matthew... – Um senhor de 40 poucos anos falava calmo. – Você não tem culpa.
- Eu devia ter previsto que algo assim aconteceria, não? – Matt olhava para seus pés sem coragem de olhar nos olhos do senhor.
- A gente não tem como prever essas coisas, Matthew. – Matt finalmente o encarou, o senhor pode observar suas olheiras e sua expressão de cansaço. – Me conte como estão seus amigos.
- Hm... – Matt se ajeitou no sofá. – Sabe, pode parecer estranho, mas eles me fazem ser eu mesmo. E o pensamento de perder um deles... foi a pior sensação que eu já senti. – o inglês sorriu ao lembrar dos amigos. – E, naquele dia... eu tive a sensação de perder todos eles, o Travis foi envenenado, minha namorada Jay foi sequestrada... – Ele fechou os olhos. – E Luna e Harry...
- O que aconteceu com eles? – O senhor falou e Matt o olhou e suspirou.

3 meses atrás...

- HAAAAAAAAARRY? LUNAAAA? – Jay gritava enquanto Matt a segurava pela cintura, o inglês não conseguia acreditar que aquilo estava acontecendo. Travis estava na porta de seu quarto quando viu uma grande movimentação, tentou andar o mais rápido que podia, mas ainda estava fraco. Quando chegou na sala principal viu duas macas entrando com vários médicos e enfermeiras em volta, arregalou os olhos e sentiu vontade de chorar ao ver o cabelo loiro na maca, piscou algumas vezes, despertou do transe quando ouviu a melhor amiga chorar.
- Eles tem que falar alguma coisa pra gente, Matt! – Matt abraçava Jay de lado tentando segurá-la. Ela viu Travis encostado na parede a olhando. – T?
- O que aconteceu? – Travis perguntou sério.
- Alguém bateu no carro e... – Jay falou com uma voz fraca.
- E ele capotou... – Matt falou. – Não sabemos como eles estão.
- Hanna? – Travis perguntou e Matt deu de ombros. – Shit.
- Jay, senta aqui com o Travis, ok? – Matt ajudou os amigos a se sentarem em um grande sofá e se ajoelhou ficando da altura da namorada. – Ei, eu vou tentar falar com eles, ok?
- Ok... – Jay tremia um pouco e Travis a abraçou de lado. Matt sorriu de lado e beijo a testa dos dois. – Você tá bem?
- To sim, meu amor. – Travis falou beijando o cabelo da amiga. – Você?
- Só quero que isso acabe... – Jay finalmente deixou as lagrimas caírem. – Não sei até onde aguento...
- Você aguenta qualquer coisa, Jane Jones. – Travis a apertou em um abraço.

Matt foi andando em passos rápidos até o balcão onde ficavam algumas funcionárias do hospital.
- Vocês pode me informar onde estão meus amigos? – Falou rápido.
- Senhor, antes de tudo precisamos que se acalme. – Matt sorriu irritado. – Eles foram direto para cirurgia, assim que eu tiver mais informações eu falo com o senhor.
- Eu preciso ir, mas por favor fale com minha namorada e nosso amigo, ele também é um paciente. – A funcionária apenas balançou a cabeça positivamente. Matt foi até os amigos e se ajoelhou em frente à Jay.
- Babes, eu vou lá fora falar com o Jim, ok? – Ele segurou seu rosto com as duas mãos.
- Não me deixa. – Jay falou baixinho.
- Never! – Matt sorriu beijando sua testa e em seguida sua boca. – Eu volto logo.
- Ok. – Jay sorriu fraco.
- Cuida dela! – Travis beijou a cabeça do amigo.
- Always. – Falou sorrindo.
- And forever. – Matt sorriu. – Amo vocês.
Matt levantou e saiu quase correndo de lá, algumas lágrimas insistiam em cair, mas ele fez de tudo para que os amigos não percebessem nada, chegou lá fora e Jim estava no telefone. Quando desligou Matt se aproximou.
- Acharam ela? – Perguntou nervoso.
- Temos uma pista. - Jim falou andando até seu carro, quando viu que Matt estava entrando no carro, deu um berro que assustou algumas pessoas ao redor. - Nem pense nisso.
- Eu posso ajudar, Jim! - Matt falou nervoso.
- Ajudar em que? Só vou me preocupar com você.
- Deixa de besteira, ela não vai me machucar. - Falou entrando no carro fazendo o primo revirar os olhos.
- Sabe eu to começando a odiar você e seus amigos. - Jim falou ao entrar no carro.
- Entra na fila, Jimmy. - Matt sorriu e Jim pensou como eles conseguiam achar tempo pra piadas enquanto estavam vivendo aquele inferno.

Sophie e Tom chegaram com algumas roupas para Jay e Travis. Eles apenas sorriram e pegaram suas mochilas.
- Ainda acho que você deveria ir pra casa tomar um banho, Jay. – Sophie falou tirando uma mexa de cabelo da amiga que caía em seu rosto.
- Estou bem. – Jay sorriu sem humor nenhum e apenas beijou a testa da amiga. – Vou ao banheiro, já volto. Olhem o Travis.
- Sabe, não sou criança... – Travis falou rápido fazendo Sophie e Tom rirem baixinho.
- Hmhum... – Jay mumurrou e entrou no banheiro no final do corredor.
- Preciso te contar uma coisa. – Tom falou sério e Sophie mexeu em seus cabelos cacheados.
- O quê? – Travis falou terminando de tomar o suco que a enfermeira tinha lhe dado.
- Vi Matt entrando no carro do primo dele, aquele policial. – Tom falou tenso com a reação que Travis poderia ter.
- Ótimo! – Travis levantou como uma bala. – Não contem pra ela. Vou me trocar no meu quarto. – Falou fechando a porta. Sophie e Tom se entre olharam.

Jay estava de frente para a pia do banheiro, olhando pelo grande espelho seu reflexo, suas roupas ainda estavam com sangue por causa da briga com Hanna e sujeira. Tirou a roupa lentamente, ficando apenas com sua roupa íntima no corpo, tentou limpar a sujeira de seu rosto o máximo que pôde com água que escorria da pia, olhou no espelho novamente e olhou alguns ferimentos em seu rosto e sentiu uma raiva que fazia seu peito doer, em um reflexo ela se viu dando um soco no espelho. “Arghhh” falou o mais baixo que pôde, olhou sua mão e estava vermelha, o sangue escorria lentamente, colocou sua camisa suja em volta do ferimento e colocou uma calça e uma camiseta que Sophie tinha trazido, riu quando viu que a camisa era da banda favorita dela e de Luna, McFly. Sorriu novamente quando lembrou do show que foram juntas, sentiu seu coração acelerar quando vários flashs daquela noite apareceram em sua mente.
- Jay? – Sophie bateu na porta do banheiro assustando a americana. – Tá tudo bem?
- Sim, já estou acabando. – “Ok” foi o que Jay ouviu. Esperou um pouco e saiu do banheiro a procura de alguma enfermeira.

Jim estacionou o carro perto de seus colegas que já estavam no local, quando Matt ia sair do carro Jim segurou seu braço.
- Olha lá o que você vai fazer, primo. – Jim falou nervoso, Matt assentiu e os dois saíram do carro.
- Johnson. Esse é o garoto? – um policial mais velho falou sério e Jim apenas respondeu que sim balançando a cabeça. – Bom, ela está lá dentro ameaçando se matar se tentarmos alguma coisa.
- Jesus... – Matt falou. – Eu vou precisar entrar, certo?
- Não sabemos se ela está sozinha. – O chefe falou e Jim arregalou os olhos.
- Você não vai entrar lá. – Jim falou e Matt ficou sério. – Pelo menos não agora, Matt, seja sensato.
- Como quiser. – Matt falou encostando no carro do primo.

- Tá mais eu tenho que tomar isso mesmo? – Travis perguntou com uma cara de nojo fazendo a enfermeira rir.
- Vou sentir sua falta, Travis. – Ela apertou seu braço e saiu do quarto.
- Ei. – Jay encostou na porta. – Recebeu alta?
- Sim. – Travis notou sua mão enfaixada e revirou os olhos. – Se ficar mais idiota você vira o Roger.
- Não é nada. – Jay disse.
- Continue falando isso, talvez um dia eu acredite. – Travis beijou sua testa e os dois saíram do quarto. Sentaram na sala de espera onde Tom, Sophie e Roger estavam.
- Eu odeio isso. – Travis falou bufando. – Essa espera me mata.
Roger viu o médico sair do centro cirúrgico e cutucou Jay.
- Ei, como eles estão? – Jay perguntou nervosa e Travis segurou sua mão.
- A cirurgia no joelho do senhor Collins foi um sucesso e no pé da senhorita Ramos também. – Jay respirou aliviada.
- São notícias boas, certo? Porque o senhor não parece feliz? – Travis perguntou aflito.
- Bom, seus amigos sofreram um trauma forte, eles estão desacordados...
- Em coma? – Jay piscou algumas vezes e Travis apertou sua mão.
- Ainda está cedo pra dizer, vamos esperar mais um pouco. Eles podem acorda a qualquer momento. – o medico sorriu. Jay e Travis suspiraram. – Daqui a uma hora vocês poderão visitar-los , ok?
- Obrigada, doctor. – Jay falou.
- ONDE ELE ESTÁ? – Uma voz conhecida vindo da recepção fez Jay revirar os olhos. Sentou novamente e Roger apenas bufou.
- O que isso? – Tom perguntou.
- A mãe do Matt. – Jay e Travis falaram juntos. Ela viu Travis em pé encostado na parece e gritou por ele.
- TREVOR. – Travis revirou os olhos. – Onde está meu filho?
- Meu nome é TRAVIS. – Falou sério. – E ele saiu com o Jim.
- O QUÊ? – Travis bateu na testa e olhou pra Jay.
- Eu sabia que ele tinha ido. Não sou burra. – Jay bufou e Travis sentou ao seu lado.
- E vocês deixaram ele ir? – Martha perguntou.
- Ninguém manda na vida dele, senhora. – Travis falou. – Ele faz o que quiser.
- Não enquanto estiver viva. – Jay abriu a boca, mas Travis colocou a mão antes que ele pudesse falar. Martha sentou em um sofá. Observou os machucados no rosto de Jay e falou:
- Sabe, você deveria ter aceitado minha proposta. – Jay a olhou e sorriu irônica. – Não estaria nessa situação.
- Do que ela tá falando, Jay? – Travis falou preocupado. – Jane?
- Não é nada, T. Shiu.
- Ei, você me fala agora. – Travis estava começando a sentir dor no estomago novamente.
- Não é nada, como ela falou. – A mãe de Matt falou.
- Hm. – Travis mexia a perna de tanto nervoso, queria saber o que aconteceu.
- Então você não contou a ninguém? – Martha falou em tom de surpresa.
- Não, eles já te odeiam o suficiente. – Jay falou colocando os cotovelos em suas coxas e encostando sua cabeça em suas mãos.
- Até o Matthew? – Travis apenas observava.
- Eu não tenho nada a ver com a relação de e com você. Mas eu nunca daria a ele mais um motivo pra odiar você.
- Hm, que nobre. – Falou irônica.
- Jane Jones... você vai me contar agora! – Travis insistiu por uns minutos, mas Jay estava calada com a cabeça entre as mãos. – Eu juro que se você não me contar...
- ELA ME OFERECEU DINHEIRO, OK? – Jay levantou como uma bala assustando a todos. – Ela me ofereceu dinheiro pra sumir da vida do Matt satisfeito?
- Você tá brincando? – Travis arregalou os olhos. – Você é pior do que pensei.
- Ah por favo, eu conheço pessoas como vocês. – Bufou. – Gostam de se aproveitar.
- Já chega! Não fala assim com ele, aliás não fala com ele de jeito nenhum. – Jay falou mais alto do que imaginou. – Dá o fora daqui.
- Você não manda em mim, garota. Tenha modos. – Jay revirou os olhos e levantou Martha pelo braços.
- Escuta aqui, sua sem noção. Meu melhor amigo foi envenenado, eu fui sequestrada, meus amigos podem está em coma e meu namorado tá sabe lá Deus onde tentando achar a psicopata que fez isso tudo com minha família. Então se não quiser que eu leve você até sua casa embaixo de porrada acho bom você vazar daqui, AGORA! – Martha arregalou os olhos e puxou seus braços.
- Não sei porque meu filho me trocaria por você. – Martha cuspiu as palavras e Jay riu.
- Pergunta pra ele. – Jay ia saindo da sala, mas antes olhou uma última vez pra Martha. – Quando eu voltar e você ainda estiver aqui, eu não respondo por mim.

Matt estava encostado no carro de Jim e observava o primo e alguns de seus colegas conversando um pouco longe, andou devagar até a rua do lado do local onde Hanna estava. Deu a volta pela rua e entrou no prédio abandonado ao lado, atravessou para o prédio de Hanna pela janela do terreio e escutou a voz de Hanna, se aproximou do cômodo onde ela estava, tomou um susto quando ouviu seu nome.
- Olá Matt! – Hanna apareceu, com um olhar que ele nunca tinha visto antes, ela parecia louca.

- Eu não encontro a Jay em lugar nenhum. – Sophie falou preocupada.
- Ela não foi atrás do Matt, né? – Roger perguntou. Antes de Travis responder uma enfermeira apareceu chamando Travis.
- Travis, as visitas já estão liberadas. – Travis sorriu. – Quer ir agora?
- Claro. – Levantou nervoso. – Se a Jay aparecer, manda ela entrar, ok?
- Pode deixar. – Tom sorriu tentando confortar Travis que sorriu de volta.
- Eles ainda estão... – Travis engoliu seco. – Dormindo?
- O efeito da anestesia passou faz meia hora. Tenha esperança. – Falou deixando Travis na porta do quarto. Respirou fundo e abriu a porta, Luna e Harry estavam lado a lado, Travis se aproximou e beijou a testa de Luna, sentiu uma lagrima cair quando viu Harry entubado. Segurou as mãos dos dois.
- Ei... não é querendo pressionar vocês não, mas acordem ok? – Travis sorriu sem humor. – Só acordem, ok?
Ficou em silencio por um tempo e então arregalou os olhos, beijou as testas de seus amigos e correu até a sala onde estavam seus amigos.
- Ela sabe sim onde eles estão. Ela estava lá. – Travis falou rápido.:
- Calma! Respira! – Sophie segurou suas mãos.
- Jay sabe onde Jim e Matt estão, ela estava com com Hanna e... – Travis tremia.
- Ok, liga pro Jim, agora! – Travis pegou seu celular no bolso.
- Preciso do seu carro, Roger. – Roger jogou as chaves.
- Onde você pensa que vai? – Sophie o segurou pelo braço.
- É a Jay. – Falou andando até a saída do hospital, mas sem antes falar: fiquem aí!

Jim estava olhando algumas pastas quando sentiu seu celular vibrar. Olhou pelo visor e atendeu de imediato.
- Travis!
- Jim, a Jay está indo pra ir. – Jim arregalou os olhos. – Avisa pro Matt não deixar ela fazer alguma merda.
- Pode deixar. – Jim procurou pelo primo e não achou em lugar algum. – Shit!
- O quê? – Travis perguntou.
- Ele entrou lá, o Matt tá lá dentro com a Hanna. – Travis acelerou o carro.
- Me dá o endereço dai agora! – Jim não recitou e passou o endereço. Assim que desligou viu Jay chegando de bicicleta.
- Cadê ele? – Falou jogando a bicicleta longe.
- Preciso que fique calma. – Jay já tinha lagrimas nos olhos.

Matt tentou se aproximar, mas viu que Hanna tinha um arma em sua mão. Ela riu com a reação do ex-namorado.
- Ficou com medinho? – Perguntou rindo. – Eu não vou matar você.
- Hanna você perdeu o juízo? – Matt levantou as mãos.
- Não bebe, nunca estive mais lúcida. – Hanna sentou em uma cadeira.
- O que você acha que está fazendo?
- Ai Matthew, para de chatice, ok? – Falou revirando os olhos.
- Você quase matou os meus amigos! – Matt falou alto e Hanna levantou.
- Fala direito comigo. E eu não fiz nada.
- Você deve tá muito perturbada. – Matt falou com um sorriso irônico. – Você pensou que matando todos eles eu iria voltar pra você?
- Não, só a princesa da Jay mesmo. Os outros só foram efeito colateral. – Falou sentando novamente.
- Como você pode falar assim com tanta frieza?
- Culpa sua, Matt. Você me deixou assim.
- Namoros acabam, Hanna. E eu nunca enganei você.
- Enganou sim. Você me trocou por ela. – Matt revirou os olhos.

- Você me fala isso na maior tranquilidade. – Jay falou.- Essa garota tá louca.
- Eu sei, Jay.
- Não tá parecendo. – Bufou e andou até a barreira em frente ao prédio.

- Hanna, se você se importa comigo como você diz, se entrega ok? Você precisa de ajuda.
- Cala a boca, eu juro que atiro em você. – Matt que agora estava sentado no braço de um sofá arqueou a sobrancelha.
- Pensei que não me mataria.
- Não disse nada sobre machucar. – Falou rindo.
- Mas Hanna... – Hanna se levantou.
- Eu disse pra calar a boca. – Hanna atirou no sofá fazendo Matt dá um pulo.

- O QUE FOI ISSO? – Jay gritou correndo até o prédio. Jim tentou ir atrás, mas não conseguiu.
- Pensei que esse dia não poderia piorar. – Jim falou.
- Cadê eles? - Travis gritou e Jim socou um dos carros que estavam ali.

- Matt? – Jay gritou e Matt arregalou os olhos. Hanna riu por um momento.
- Shiu, se não atiro em você. – Hanna falou baixinho e apontou a arma pro ex-namorado.
- Matt? – Jay abriu a porta e viu Matt em pé com as mãos pra cima., respirou aliviada.
- Fecha a porta antes que mate seu namoradinho. – Hanna falou e Jay fechou a porta. Tentou se aproximar de Matt mas Hanna impediu. – Não senhora. Fique ai mesmo.

- Se preparem! Vamos entrar. – Jim falou aos colegas. – E, você, fica aí!
- Traz eles de volta! – Travis falou e Jim apertou seu braço.

- O que você quer Hanna? – Matt perguntou.
- Eu quero você, Matt. E pra ter você ela precisa morrer. – Matt arregalou os olhos.
- Hanna...
- Shiu! Se ajoelha, Jay. Se não atiro no pé dele. – Jay obedeceu. – Boa garota.
- Últimas palavras? – Perguntou e Jay olhou pra Matt.
- Cuida deles pra mim, ok? – Matt sentiu as lagrimas escorrendo por suas bochechas. – E não esquece que amo você.
- Jay, me desculpa. – Matt falou com a voz falha. – Eu te amo.
- Blablabla. – Hanna pegou outra arma que estava em sua cintura e apontou na cabeça de Jay.
- Hanna, você não precisa fazer isso. – Matt implorava.
- É o único jeito, querido. – Hanna sorria.
- Então me mata no lugar dela, hã? – Matt falou e Jay o olhou desesperada. – Eu que rejeitei você não ela.
- Inacreditável. – Hanna bufou. – Você morreria por ela?
- Sim! – Falou olhando pra Jay que chorava.
- Ok, então eu mato os dois, que tal? Vai até ele, Jane. – Jay levantou e abraçou Matt.
- Pensei que talvez isso acontecesse. Vocês são previsíveis demais. – Hanna olhava os dois abraçados. – Eu sabia que iria fazer de tudo pra falar comigo, me convencer a procurar ajudar e eu sabia que ela ia vim atrás de você. Chega dá vontade de vomitar. – Hanna colocou uma das armas na mesa da sala e pegou algo do bolso.
- O que você vai fazer, Hanna? – Matt perguntou.
- Acabar com isso. – Falou brincando com um isqueiro que estava em seu bolso. Hanna jogou o isqueiro no sofá e ele começou a pegar fogo, Matt abraçou Jay tentando protegê-la do fogo, que logo foi se arrastando por todo apartamento. Jim abriu a porta com um chute e atirou na mão de Hanna, fazendo com que ela soltasse a arma, segurou a mesma quando tentou sair pela porta. O fogo estava chegando perto de Matt, que tentou chegar até a porta, Jim olhou para o primo e levou Hanna dali, Jay enterrou seu rosto no peitoral de Matt, que com seu casaco tentou protegê-la da fumaça. Quando pensou que tudo estava acabado, Jim voltou com um pequeno extintor abrindo caminho para os dois, Matt carregou Jay e correram pra fora, quando chegaram até a rua de frente ao prédio com Jim uma grande explosão aconteceu. Travis correu até os amigos os abraçando.

Travis, Matt e Jay estavam sentados em uma ambulância enquanto esperavam Jim.
- O que vai acontecer com ela? – Jay perguntou encostando sua cabeça no ombro de Matt.
- Não sei. – Matt falou segurando sua mão. – Mas ela nunca mais vai machucar nenhum de vocês.
- Estão prontos pra ir pra casa? – Jim perguntou.
- Precisamos voltar pro hospital. – Travis falou e Jim assentiu. – Vamos, eu dirijo.

Chegaram no hospital e logo viram Sophie que sorriu.
- O médico acabou de falar com a gente. – Sophie sorria. – Eles acordaram.
Jay, Matt e Travis correram até o quarto e lá estava Luna e Harry acordados. Quando entraram Harry fechou a cara.
- Eu pensei que vocês não iam acordar. – Travis segurou a mão de Luna que sorriu.
- Luna, quem são esses? – Harry falou sério.
- O quê? – Jay olhou pra Matt.
- Harry, somos nós. – Matt se aproximou do amigo. Todos estavam sérios demais, então Luna sorriu olhando pra Harry.
- Vocês precisavam ver a cara de vocês. – Harry riu mas fez uma careta quando Matt bateu em sua testa.
- O que perdemos? – Luna perguntou. Jay, Matt e Travis se entre olharam e caíram na gargalhada.

3 meses depois...

15. Stitches.

3 meses depois...

Era madrugada e Luna ainda não conseguia dormir, observava a luz da rua refletindo na parede da sala do apartamento de seus amigos, ela passou a morar com eles a pedido de Jay, ela aceitou de primeira pois se sentia mais segura. Ouviu um barulho vindo do quartos, levantou a cabeça rapidamente com o susto, andou em passos longos e viu uma luz vindo do quarto de Travis, bateu fraco e abriu a porta.
- Ainda acordado? - Travis deu um pulo.
- Te acordei? - Perguntou sentando na cama e viu a amiga negar com a cabeça. - Hm, sem sono?
- Sono tenho de sobra, foda é conseguir dormir... - Falou encostando na porta. - E você?
- Terminando um trabalho. - Revirou os olhos e a loira riu. - Vem, deita aqui.
- Não quero atrapalhar. - Travis fez uma careta . - Ok ok.
- Como tá o pé? - Travis perguntou mexendo nos cabelos da amiga.
- Vou ao médico amanhã com o Harry.
- Você acha que ele libera vocês amanhã?
- Provavelmente... - Luna sorriu sem humor e Travis a puxou pra perto.
- Tenta dormir, ok? - Falou beijando seu cabelo.
- Obrigada, T. - Travis apenas mumurrou.

Jay deu um pulo da cama, antes que fizesse algum barulho que acordasse Matt, correu pro banheiro e trancou a porta. Levou as mãos ao seu rosto enquanto tentava respirar. Tentava se acalmar, mas a vontade de gritar crescia. Deu um pulo quando ouviu alguém bater na porta do banheiro.
- Amor? - A voz do namorado a fez fechar os olhos. - Você tá bem?
- Yep, só to apertada. - Falou se odiando por estar mentindo. - Já to saindo.
- Ok, to te esperando. - pensou "fuck" e sentou na privada. Ouviu vozes e imaginou que ou Matt estava falando sozinho ou alguém também tinha acordado. Lavou as mãos e o rosto mais uma vez.
- Tá falando sozinho? - Jay sorriu tentando disfarçar sua respiração acelerada.
- Harry tá na cozinha. - Matt sorriu puxando Jay pra perto.
- Ei casal, cadê a Luna? - Harry arregalou os olhos ao ver o sofá vazio.
- Deve tá no quarto do Travis, maybe? - Jay falou indo em direção ao quarto do amigo sendo seguida por Matt e Harry. - Aww.
- Como ele consegue dormir com mil coisas em cima dele. - Matt andou até Travis e tirou suas coisas com cuidado. - Pronto.
Jay sorriu e deitou ao lado de Luna que dormia ao lado de Travis, Matt balançou a cabeça negativamente com aquela cena enquanto Jay o chamava.
- Como vai caber eu e você? - Matt perguntou ao amigo que estava sentado em um pequeno sofá que Travis tinha no quarto.
- Deita aí de boa, Matty. - o brasileiro sorriu e Matt deitou ao lado de Jay que virou o corpo para ficar de frente ao namorado.
- Já perdi as contas de quantas vezes isso aconteceu... - a morena riu baixinho.
- Tenta dormir, anjo. - Matt falou puxando a garota pra si. Deu uma ultima olhada em Harry e viu o amigo deitar com a perna ainda enfaixada pra cima todo sem jeito. Fechou os olhos e sorriu sentindo o cheiro dos cabelos de Jay.

Travis sentiu uma mão quente em seu rosto e abriu os olhos com dificuldade. Viu Luna dormindo em seu ombro e sorriu, a amiga não dormia direito a meses, levantou com cuidado e arregalou os olhos quando viu Jay, Matt e Harry dormindo em seu quarto. Revirou os olhos quando reparou que o casal estava dormindo de conchinha. "What the fuck?", pensou ao ver Harry dormindo em um sofá velho que tinha em seu quarto.
- Hey dude... - Travis ficou de joelho no chão tentando acordar o amigo. - Harry, porra!
- What? O que aconteceu? - Perguntou assustado.
- Nada, deita ali na cama.
- E você? - Perguntou levantando.
- Vou fazer o café. - Travis sorriu e viu o amigo deitar ao lado de Luna e seguiu para a cozinha, pegou alguns ingredientes para fazer algumas panquecas e ligou seu celular. Viu algumas mensagens do colegas do trabalho, mas foi a mensagem do Tom que o fez sentir dor no estomago. Fechou os olhos e largou o celular no balcão e começou a cozinhar.
Matt abriu os olhos rapidamente acordando de um pesadelo, passou a mão pelo cabelo e bufou. Virou de lado e se deparou com Jay dormindo tranquilamente, a respiração fraca e lenta, ela parecia um anjo, riu colocando alguns fios do cabelo preto da namorada por trás da orelha, se aproximou colando seu nariz ao dela.
- ei JJ... tá na hora de acordar. - Falou mexendo no rosto da morena. - Jane...
- Não me chama assim, amor. - Disse batendo na barriga do namorado.
- Adoro quando me chama de amor. - Matt falou com uma voz afetada e agarrou Jay.
- Ai me solta, chato! - Jay dava uns risadinhas e sem querer bateu em Luna que dormia tranquilamente. - Shit!
- Vamo embora daqui. - Matt sentou na cama e Jay subiu em suas costas. Deixou Jay no banheiro e foi até a cozinha. - Ei!
- Que susto porra! - Matt deu uma gargalhada e Travis mostrou o dedo ao amigo. - Cade o resto?
- Jay tá no banheiro e os dois ainda estão dormindo. - Deu de ombros tomando o suco que Travis colocou na sua frente. - Ela acordou de novo de madrugada.
- Imaginei. Ela não falou nada? - Matt balançou a cabeça negativamente. - Teimosa da porra.
- Ela às vezes fica estranha quando estamos sozinho... - Matt falou inseguro.
- Como? - Travis fez careta.
- Como se ela quisesse me contar algo, mas nao consegue. - Travis pensou "puta merda" tentou disfarçar seu desconforto coloca as panquecas no balcão. - O que cê acha?
- EI GENTE, VOCÊS VIRAM MINHA BOTA PRETA? - Gritou Jay e Travis sorriu.
- VOCÊ SÓ TEM BOTA PRETA, BURRA! - Travis gritou indo até o quarto da amiga. Jay levou um susto quando o amigo fechou a porta nas pressas e encostou nela com os olhos arregalados.
- Que? – Perguntou enquanto procurava a bota.
- Você tem que contar pra ele! – Travis falou um pouco alto e Jay fez cara feia. – Porra Jane, conta logo!
- Não! Não vou dá mais essa decepção pra ele. – Bufou se irritando com a procura frustrada pela bota.
- QUE? As porradas que a psicótica te deu foi tão forte assim? Para de mentir pra ele.
- Eu não to mentindo, to apenas deixando quieto. – Suspirou quando achou a bota em baixo da cama fazendo o americano revirar os olhos.
- Depois não vem chorar o meu ombro. – Travis saiu bufando batendo a porta do quarto. Foi parado por Luna.
- Vocês brigando? – Travis apenas beijou a testa da amiga, pegou suas coisas na mesa e saiu do apartamento batendo a porta. Matt olhou para Luna que deu de ombros e entrou no banheiro.

A manhã não passava, Luna e Harry não conseguiam se concentrar em suas aulas, passaram a manhã inteira olhando as consequência de seu acidente, depois de três longos meses de agonia e dor, finalmente, se tudo ocorrer bem, iriam ter alta. A manhã não oi diferente para os outros, Jay literalmente fugia da diretora de esportes da faculdade, o período de suspensão e de sua recuperação já havia passado, mas a estudante evitava esse encontro, e ela mesma não sabia o porquê. Matt e Travis estavam sentados em uma escadaria em frente ao prédio de jornalismo concentrados em seus notebook, ao menos Travis estava.
- Ei Travs?! – Matt falou ainda olhando para a tela.
- Hm?! – O inglês sorriu com a concentração do amigo.
- A Jay tá me escondendo algo? – Perguntou e fechou os olhos.
- Boa tentativa, querido. – Travis sorriu fechando seu notebook, Matt fez o mesmo. – Não vou me meter, Mattie.
- Fuck! – Matt passou a mão pelos cabelos. – Nem pra ajudar.
- Eu faço tudo que posso, Matt. Mas isso é coisa dela, não posso me meter assim. – Ajeitou seu notebook em sua mochila. – Mas... – Foi interrompido pelo celular vibrando em seu bolso. – Que?
- Ei imbecil, cadê vocês? – Jay perguntou com raiva e Travis apenas revirou os olhos. – Eu e Luna estamos esperando.
- Harry ainda tá em aula, idiota. Tá mais nervosa que eles?! – Matt riu da cena.
- To no viva voz? - Travis ignorou e ela entendo como um sim.- Eu odeio vocês.
- Mas eu amo. – Luna gritou e os dois riram.
- Pega o Harry logo antes que eu vá ai e mate os três. – Travis desligou e tomou um susto com Harry chegando ao seu lado.
- Que gritaria foi essa? – Perguntou ajeitando sua mochila nas costas.
- Jay! – Os amigos falaram na mesma hora e Harry fez bico.

Fazia exatamente meia hora que Harry e Luna estavam com seus médicos, Jay estava sentada em cima de seu carro enquanto Travis e Matt estavam encostados na traseira do mesmo. As vezes conversavam sobre alguma coisa aleatória, mas sempre acaba em silencio. Travis olhou a amiga se mexer na frente do carro.
- Sabe que ela tá evitando a Sra. Kelly né? – Cutou Matt que assentiu em silencio. – Acha que ela não quer voltar a jogar?
- Talvez ela não esteja pronta?! Difícil saber o que ela tá pensando esses tempos. – Matt se mexeu desconfortável. – Todo mundo alias...
- Well, a gente foi no inferno e voltou, normal. Eu acho. – Travis olhou a amiga novamente.
- E o Tom? – Matt bateu seu ombro no do amigo e sorriu.
- É, eu acho fiz merda nesse departamento. – Falou balançando a cabeça negativamente.
- É como dizem, vai piorar muito antes de melhorar, não é? – Travis não teve a chance de responder. Viu Harry sair do hospital sem nada no joelho, de longe nem as cicatrizes apareciam. Os dois levantaram a mão e gritaram rapidamente, Harry riu e abraçou os dois, sentiu Jay o abraçar por trás. – Eu não acredito que tive alta.
- Finally. – Os três falaram na mesma hora fazendo Harry gargalhar.
- Ela ainda tá lá? – Harry levantou uma sobrancelha, Jay concordou com a cabeça. – Ahhh!
Harry olhou para a porta e viu a amiga prendendo o cabelo em um coque frouxo enquanto falava com alguém. Harry e Luna passaram praticamente os três meses juntos entre vários dias de fisioterapia. Vi a amiga, finalmente, calçando seu allstar verde e sorriu. Viu Jay correr para abraçar a amiga e sorriu com a cena.
- Eu não acredito! – Jay falou abraçando a amiga de lado. – Não acredito que estamos bem novamente. – Falou quando os cinco se abraçaram.
“Pelo menos fisicamente”, pensou Jay fechando os olhos.

Jay e Luna estavam animadas no trabalho, as duas dançavam as músicas que tocavam no bar do Roger, fazendo o próprio rir das danças malucas. Eram cinco da tarde e as pessoas aos poucos chegavam, apesar de, ainda, não poder beber Luna sempre brindava com os clientes com sua fiel garrafinha de agua, Jay apenas observava a amiga enquanto limpava algumas mesas, viu Roger se aproximar e sorriu.
- Você tá bem, querida? – Roger perguntou sincero, Jay nunca pensou que teria uma figura paterna novamente até conhecer Roger, um solteirão de 40 poucos anos, mas sempre agradece aos Deuses por te-lo em sua vida. – Parece distante.
- Não é nada. Juro. – A morena piscou e foi de encontro a Luna.

Matt e Travis estavam no campo onde treinavam batendo uma bola. Harry apenas observava enquanto se aquecia. Chamou a atenção dos amigos e logo os três começaram a jogar, o brasileiro parava um pouco com medo de forçar seu joelho, mas logo voltava a correr. Sentaram um pouco na grama para tomar uma água.
- Ei, Travs?! – Matt chamou atenção do amigo. – O que você ia me falar hoje cedo?
- Quando?
- Quando a Jay atrapalhou. – Travis então se lembrou e piscou algumas vezes nervoso.
- Bom, sua mãe foi te procurar no hospital, quando você tinha ido atrás da Hanna. - Harry engoliu seco, mas continuou calado. – E foi pesado.
- Como é? – Matt cuspiu as palavras. – O que ela fez?
- Foi a rude de sempre, né?! – Travis abraçou as pernas com seus braços. – Falou um monte.
- Me conta, agora!
- Já disse que não vou me meter, Mathew. – Travis falou se levantando.
- Pela amor de Deus, Travs. Você sabe que ela não vai me contar. – Trais sabia que o amigo estava certo. Matt se levantou e Harry o acompanhou. – Por favor.
- Não foi o que ela fez naquele dia, e sim anos atrás... quando a gente se conheceu. – Travis cruzou os braços. A cada nova palavra que saia da boca do amigo fazia Matt querer vomitar.

Matt andava com passos largos e pesados pelo grande salão, passou um cartão no elevador e entrou tocando no botão que indicava o último andar, se arrependeu por um momento por não ter tomado banho. “Mas pelo menos coloquei uma calça”, pensou bufando quando viu a porta do elevador abrir, seus olhos transbordava raiva, mas ele não ligava pra nada naquele momento, viu que a secretaria falava algo desesperadamente mas ele a ignorava, entrou na sala de reunião onde pode ver seu pai, sua mãe e irmão na ponta da mesa, que estava cheia de pessoas, mas seus olhos se encontraram com os de sua mãe e ele gritou: - Qual a porra do seu problema, Debra?

Continua...

Nota da autora: (19/08/2017) Oi gente, espero de verdade que vocês gostem dessa historia que é principalmente sobre amizade. Qualquer coisa gritem no twitter: @itsaboutJess

Nota da beta: Tá loko, que sufoco esse pessoal passou, hein? Ainda bem que deu tudo certo no final e a Hanna se ferrou. Que pague por tudo que aprontou agora! E agora o Matt chamando a mãe na chincha eu quero ver. hahaha


Se encontrar algum erro, me avise pelo e-mail.