Just Another Festival

Autora: Yass Backs | Beta-Reader: Carry

Sabe aquele dia que você acorda com vontade de entrar em coma só pra dormir por meses seguidos? Hoje é um dia assim pra mim. Hoje estou ferrado.
É o dia da apresentação das bandas no festival da faculdade e eu to cagado, pois nunca me apresentei ao vivo, pelo menos não para tantas pessoas quanto será hoje.
Estou no terceiro ano do curso de música e não posso dizer que odeio minha vida. Quer dizer, gosto dos meus amigos e da minha família. Sem contar que sou apaixonado pelo o que faço: Música!
- Oi, ! – Falei assim que avistei a garota passar em frente à escadaria dos dormitórios.
- Oi, ! Animado pro festival hoje? – Ela perguntou caminhando até mim. não era a garota mais bonita da faculdade, ela era linda, é obvio, mas era a mais legal e simpática. Fazemos aulas juntos e somos amigos desde o segundo ano de faculdade, quando ela veio transferida de Boston para Sydney.
- Ah, estou só um pouco aflito por ter que me apresentar na frente de tantas pessoas.
- Qual é! Você tem uma voz maravilhosa e é ótimo na guitarra. Sem contar que metade desse campus quer ir para a cama com você, incluindo garotas e garotos. Você vai fazer sucesso.
- Mas você sabe que a única que eu quero, não me quer! – Sorri tímido e ela sorriu também. Ela sabia que era ela.
- Fale isso para ela hoje mais tarde. Quem sabe ela não mude de ideia e te dê uma chance?
Assim ela piscou e saiu rebolando. Ah, como eu queria pegar naquela bunda.
Enfim, ela e mais três meninas vão se apresentar também, mas cantando uma versão em grupo de Hands to Myself. Se Selena Gomez já é sexy cantando essa música, é ainda mais.
- E aí, dude! – apareceu das sombras e parou ao meu lado. – O festival é hoje, né! Vai ter ensaio depois das aulas?
- Claro. As músicas têm que estar em bela sincronia ou vou passar a maior vergonha da minha vida na frente da garota com eu quero me casar.
- E eu estou louco pra ver a cara da quando ouvir a música que vou cantar para ela. – Disse com um sorriso maldoso no rosto. – Vou dedicar Down Goes another One pra aquela vaca!
- Hey! Primeiro que essa música nem é tão destruidora assim pra você dedicar para ela. E segundo, não se cospe no prato que comeu. Só porque ela não quis mais transar com você e te trocou pelo Matt, não quer dizer que tenha o direito de xingar a garota.
- Ah, vai chupar uma rola, seu gay.
Gargalhei. era muito infantil. estudava moda na mesma universidade que nós dois e era louco por ela, mas é do tipo de garota que se cansa rápido de uma pessoa lerda como ele, então o relacionamento dos dois não foi mais longe que quatro transas.

Depois das sete aulas que tivemos, eu e os guys fomos para o estúdio de música ensaiar. Tínhamos um horário de duas horas marcado para ensaiarmos por lá. Talvez fosse só isso que eu precisasse, ensaiar.
- Mas e aí, , vai pedir em namoro hoje? – Carter perguntou enquanto se sentava na bateria dele.
- Ah, cara, eu ainda não sei. – Respondi colocando o cabo amplificador na guitarra. - Não sei se aguento mais um não dela dizendo que somos apenas amigos. É muito fora pra pouco tempo.
- Você é muito bundão, ! – David resmungou afinando seu baixo. – Corre atrás da menina. Todo mundo já percebeu que vocês nasceram um pro outro.
- Todo mundo, menos ela. – zoou enquanto pegava a guitarra, fazendo os outros dois rirem.
- Isso, riam da desgraça alheia. Mas pelo menos não transou comigo, me iludiu e depois me trocou pelo bonitão do curso de gastronomia. Ao que parece, ele sabe como usar a linguiça dele e você não, . – Respondi rindo e instantaneamente desviei de um cabo que ele jogou em mim.
- Idiota!
- Ficou zangadinho, ? – Carter perguntou rindo enquanto rodava as baquetas nos dedos.
- Ah, calem a boca e vamos ensaiar.
E nesse momento a porta do estúdio foi aberta e uma linda e garota de olhos apareceu sorrindo.
- Oi, meninos. Boa sorte hoje à noite. – Disse ela fazendo meu coração derreter mais uma vez. – Te espero lá ... – E assim piscou e se virou para sair mais logo olhou para mim de novo. – Ah, e usa aquela sua blusa preta cavada, você fica extremamente sexy com ela. – Mandou um beijo e saiu fechando a porta. Meu Deus! Que garota é essa!
- Hmmmm, você fica extremamente sexy com ela. – David imitou a voz de enquanto ria com os outros. Sorri bobo e logo começamos a ensaiar. Logo seria o show e eu precisava estar pronto.

19h35min Hora do show.

- Eu vou vomitar! – David disse andando de um lado para o outro atrás do palco do teatro da universidade.
- Então vomita agora, antes de entrar no palco, por que já é quase nossa vez. – Carter disse olhando assustado para ele. – E se você vomitar na plateia, eu te mato.
- Como ela é linda! – Sussurrei encarando em cima do palco rebolando e balançando o corpo enquanto cantava aquela musica.

I want it all, no, nothing else
(Eu quero tudo, não, nada mais)
Can't keep my hands to myself
(Não consigo me segurar)
Give me your all and nothing else
(Me dê tudo de você, e nada mais)

E do nada, ela se virou para mim e continuou a cantar enquanto me encarava.

Oh, I, I want it all
(oh, eu, eu quero tudo)
I want it all
(eu quero tudo)
I want it all
(eu quero tudo)
Can't keep my hands to myself
(Não consigo me segurar)
I mean I could, but why would I want to?
(Quer dizer, eu poderia, mas por que faria?)

Ela sorriu e se voltou para o público. Eu devo entender isso como se ela estivesse me querendo? Será?
Só parei de pensar nisso quando ela passou por mim piscando, murmurando algo como “te vejo depois do show” e logo saiu rebolando com as amigas.
Logo então nossos nomes foram chamados e percebi que era hora de entrar no palco.
Acenei pros guys e assim que entramos no palco, as garotas começaram a gritar. estava certa, eu estava sexy naquela blusa.
- Boa noite a todos. Nós não trouxemos muito de diferente para vocês hoje... – Comecei no microfone. – Apenas juntamos duas músicas com melodias diferentes para dar uma sensação de mudança.
Assim, ajeitei a guitarra. Carter bateu as baquetas e a melodia começou.
Dali eu tinha uma visão incrível de todos. E principalmente de , sentada em uma das mesas com as pernas cruzadas, usando aquela saia rodada, fazendo meu sangue ferver.

Another party with the same kids
(Outra festa com as mesmas crianças)
Another night with the same drinks
(Outra noite com as mesmas bebidas)
I need to find myself a new chick
(Eu preciso achar uma garota?)
I need to kiss a set of new lips
(Eu preciso beijar um monte de bocas novas)
She's got to be something new to me
(Ela tem alguma coisa nova pra mim)
A fresh face someone new to please
(Cara nova, alguém novo para agradar)
So come on, come on girl, just you and me
(Então venha , venha garota, só eu e você)

This kind of girl makes it rough
(Esse tipo de menina torna difícil)
Holding our breaths while we touch
(Segurar nossa respiração enquanto nos tocamos)
She won't kiss and tell
(Ela não vai beijar e sair contando)
But this isn't how
(Mas não foi assim que)
She got that name it all seems like a game
(Ela ganhou aquele nome, isso tudo parece um jogo)
How she moves so well
(Como ela se mexe tão bem)
I won't call this hell
(Eu não chamaria isso de inferno)
But if I had to guess
(Se eu tivesse que adivinhar)
I'd say we've got a mess you could sell
(Diria que nós temos uma confusão que você poderia vender)

estava agora em pé, dançando com as amigas. Os cabelos voando de um lado para o outro enquanto pulava e rodava. Ela sempre disse para mim que minha voz a fazia se ascender quando eu cantava. Bom, ela é que não sabe como me acendeu enquanto cantava Hands to Myself.
Logo minha distração passou quando trocou o tom da guitarra e lá estava ele, cantando uma música que dizia ser para que parou de dançar para encará-lo cantando. Ela estava junto de , era uma de suas amigas.

Did the best that I could
(Fiz o melhor que pude)
Said I'd die for you and I would
(Disse que eu morreria por você e iria)
But I drowned all those feelings in the flood
(Mas eu afoguei todos esses sentimentos inundados)

Need to know if you're there
(Preciso saber se você está lá)
If you're listening to my prayers to my tears
(Se você está escutando minhas preces)
Feel like raindrops through the mud
(Minhas lagrimas parecem pingos de chuva na lama)

How was I to know that a year ago I'd need to read between the lines
(Como eu saberia que um ano atrás eu teria que ler nas entrelinhas)
And every lie and thats why
(E cada mentira e é por isso que)

Every time I fall asleep my dreams are haunted
(Toda vez que adormeço meus sonhos são assombrados)
And every time I close my eyes I'm not alone
(E toda vez que fecho meus olhos não estou sozinho)
And every time I cry I'm right back where you wanted
(E toda vez que choro estou de volta onde voce queria)
I try to drown you out so down goes another one
(Outro vai para baixo)

(Down goes another one)
(Outro vai para baixo)
Down goes another one
(Outro vai para baixo)
(Down goes another one)
(Outro vai para baixo)
Down goes another one
(Outro vai para baixo)
(Down goes another one)
(Outro vai para baixo)

saiu como um furacão dali e sorriu satisfeito entre o refrão e o intervalo dele. Já eu, continuava apenas a encarar minha bela .
Ao final da música, agradecemos e saímos do palco. Era a hora.
- ! – A chamei enquanto caminhava até ela. – Como está ? – Eu precisava começar de algum lugar.
- Ela está bem! Só acho que foi um pouco infantil com essa música. Ele deveria saber respeitar a escolha de . E pelo o que eu saiba, em nenhum momento jurou amor eterno para ele.
- ! – A interrompi. – Eu queria te per...
- Sim! – Disse ela antes mesmo de eu terminar de falar.
- O quê? – Perguntei confuso.
- A resposta pra sua pergunta é sim!
- Mas eu nem... – E novamente antes de responder, ela me interrompeu, mas dessa vez foi com um beijo. E aí sim eu entendi que ela já sabia o que eu ia perguntar. – Graças a Deus! – Sussurrei quando nos separávamos do beijo.
- Valeu a pena esperar, ?
- Sim, valeu muito a pena.

FIM?

Página no Facebook
Especial MaineFly

Nota da autora: -

Nota da beta: Encontrou algum erro de script/HTML ou de ortografia? Me manda um email. E não se esqueça de comentar!